quinta-feira, 30 de abril de 2009

Coisas de mulher

Ontem tive uma visita inusidatada: o período. Inusitada porque o mais comum é passar meses sem aparecer, e tudo isto, claro, pelo excesso de peso. Estou cada vez mais convencida disso: basta tomar a medicação para a tiróide e fazer uma alimentação saudável e ele volta a aparecer. E talvez por isso a balança esteja a tramar-me, isto deve ser retenção de líquidos, creio... vale a pena tomar um diurético?

No fim de semana vai ser dose, almoços e jantares em casa da minha sogra e da minha cunhada, aniversário do sobrinho, e ter que dizer que não como isto ou aquilo, ou que não quero sobremesa...ai! Já estou a imaginá-los a perguntar se estou de dieta (e a imaginarem nas suas cabecinhas que não está a fazer efeito...pois claro, se eu comecei há 2 semanas!).
Pelo sim pelo não, vou levar o Xenical comigo, para o caso de "ser obrigada" a comer gorduras.
Foto de Nord Lijus

Uma verdadeira mulher

Foto de  Stephane Milhomme
Hoje quero contar-vos uma história. A história de uma amiga, de uma pessoa que gostou muito de mim. 
Foi minha professora da primária, e nessa altura dava-me imensa atenção, livros, lápis e pincéis, para eu me entreter enquanto ela explicava a matéria aos outros meninos. Emprestava-me até os seus lápis carandache, uma caixa magnífica com mais de 40 lápis. 
Nesses anos eu fui crescendo, sempre a menina gordinha com quem ninguém queria brincar. Sempre a menina que queria agradar os outros, conquistá-los e fazer amigos, mas passava a hora de intervalo a dar voltas sozinha pelo passeio da escola, em volta do edifício, com as mãos nos bolsos da bata aos quadradinhos, e os olhos no chão. 
Acho que não fui tão "feliz" quanto os outros, nem brinquei tanto quanto os outros, mas aprendi mais que os outros e cresci mais do que eles, e cheguei mais longe.
A minha professora compreendia-me incentivava-me, dava-me mais coisas para explorar, mais formas de aprender. 
Depois eu fui para outra escola, e continuava a visitar a professora na velha escola da primária sempre que podia.  
Entretanto ela sofreu um cancro da  mama, que superou, apesar de ter feito quimioterapia, ter retirado um peito, continuava a mesma mulher, alta e vistosa, e cheia de força, a mesma mulher que era o meu modelo de verdadeira mulher. 
Quando eu entrei para a universidade ela ficou feliz comigo. 
As vezes que a fui vendo foram escasseando. 
Até que no ano passado a encontrei, e lhe contei que tinha terminado o curso, que estava finalmente a trabalhar, e ela abraçou-me de alegria! Falamos um bocado, das imensas actividades em que ela se envolve sempre, do meu excesso de peso - incentivou-me a emagrecer... porque as pessoas amigas, não dizem só o que é fácil, olás e palmadinhas nas costas! 

Até que há uns tempos atrás contaram à minha mãe que ela havia morrido, e eu continuo sem saber se hei-de ou não acreditar. Porque me custa muito que aquela mulher vigorosa e vencedora já não esteja aqui. E também me custa saber que eu não  posso dizer-lhe estou decidida a emagrecer e contar com o seu apoio... ou que por acaso a poderei encontrar na rua... porque aquela mulher gostou de mim quase tanto como uma mãe, e sofreu por mim quando eu sofri, e orgulhou-se de mim.
Custa-me a acreditar. Às vezes quando percorro as ruas da cidade tenho o pressentimento  de a ver no dobrar da esquina, aparecer com o seu olhar altivo, no topo do seu metro e oitenta, com o cabelo curto de onde sobressaiam os olhos verdes na tez morena, sempre radiante. 

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Alguma ansiedade


Continuo aqui firme! 
Apesar de ontem me ter recriminado pela carne de porco no forno com batata ao almoço, apesar de achar que a balança não está a revelar resultados... o que é certo é que tenho cumprido: refeições saudáveis, sopa, nada de doces, nem manteiga, muita água! E além disso, hoje comi salada ao almoço, para compensar o dia de ontem!

Hoje aqui uma colega comentou que eu parecia mais magra, que se notava na  cara, o que me deixou imensamente feliz!

Apesar disso acham normal a balança oscilar, mais ou menos 1 Kg de um dia para o outro? Hum, vou deixar de pensar nisso, além do mais, o dia oficial de pesagem é o sábado. Entretanto com o fim de semana prolongado, vou para fora, e portanto vou descontrair e aproveitar! E quando voltar peso-me. 
Às vezes penso que precisava tomar qualquer coisa que ajudasse agora no início, o tal empurrão! Mas por enquanto, é mesmo só RA.

Obrigada a todas as que tem dado aquela força!

sábado, 25 de abril de 2009

Outros pecados

Fotografia de Just van Brug.

Ontem entre uma onversa pequenina (de meia hora) ao telefone com uma amiga, e o almoço, revi um antigo amor. 

Assim de repente, sem contar. E quando o ouvi chamar o nome da filha (sim, um homem mais velho!) e olhei na sua direcção, percebi que continua lindo, que uns cabelos brancos só dão mais graça aos seus olhos azuis, e que apesar de terem passado mais de 6 anos, apesar da minha vida ter mudado, aquela voz ainda me faz sentir desconfortável, ainda me faz perder a concentração, mas sobretudo faz-me perceber que entre mim e ele nunca daria certo.

Por inúmeras razões, mas também porque eu não queria ficar ao lado de um homem que não é proprimanente inteligente, culto... e eu sempre quis do meu lado um homem que me soubesse falar de tudo, e a quem eu nunca precisasse de corrigir o português... mesmo que a sua voz fosse muito sexy! Por isso ainda bem que não é um master em coisa nenhuma, porque senão seria a minha perdição, outra vez! E desta vez com a agravante de eu também ser uma mulher casada!


A verdade da balança - 101

Uma semana depois, a balança (a minha mais recente aquisição), revela uma realidade dura e triste: cento e um. E 65% de massa gorda entre outros resultados que ainda não consegui descodificar, mas que o aparelho também mede: massa muscular, água...

Depois disto não posso desanimar, nada como ser confrontada com os factos!
Para me alegrar comprei verniz Nivea Calcium Power Gloss na cor lilly gloss (um rosa vibrante), e o creme Loreal Nutribronze, para um bronzeado progressivo. Mimos, para acalmar a dor...

sexta-feira, 24 de abril de 2009

A semana em dieta


Imagem de cannelle-vanille, uma fotografa fantástica!

Resumo de uma semana "em dieta":
(ver aqui a lista amliada)

Vejam, porque está lá tudinho o que comi, aliás até incluí em destaque o dia mau, da ida ao restaurante, para me lembrar que há asneiras, e que elas também são permitidas, desde que eu saiba as consequências. 
Fico a aguardar os comentários!

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Livre: sem complexos nem culpas

(Foto da nova colecção Tintoretto)

Quando eu for grande...
Quando eu for magra...
Quando eu for rica... 
Parece coisa de miúdos. O que quero ser quando for grande, o que vou fazer quando for rica, quando me pagarem mais, quando tiver um carro melhor, quando entrar na roupa que quero. 

Porque afinal a vida continua igual depois de te contratarem para a empresa que desejavas, depois de te aumentarem... existe nas coias uma inércia natural.  Mas no fundo, este "quando eu..." alimenta as nossas mentes, e dá combustível às esperanças, capaz de nos mover em luta pelos sonhos. 

É por isso que digo que quando for magra  (e tiver umas pernas assim como as da foto) vou passear-me de perna ao léu, e sorridente por ouvir um "estás mais magra..." e responder "pois estou!". Como se essa fosse a fórmula química da felicidade. 


Tempos de dieta


(imagens de Lara Ferroni)

Primeiro foi o colesterol... agora os quilinhos a mais dão-me (mais uma vez)  força para começar de novo a dieta. Simples, equilibrada, sem restrições exageradas. Ou melhor o que pretendo é definitivamente alterar hábitos alimentares!
O objectivo final é livrar-me de 30 Kg. 
As metas parciais, são o razoável: perder de forma saudável 4 Kg por mês. 
Daqui a menos de um mês tenho consulta com a endocrinologista. Por isso até lá vou fazendo o trabalho de casa... :)

Os erros que detectei em dietas anteriores:
- dietas muito restritivas
- ficar com fome
- não tomar pequeno almoço
- passar muitas horas sem comer
- comer só uma sopa ao almoço
- chegar a casa com fome e atacar o frigorifico (ex: pão com queijo, patés...)
- jantar comidas substanciais 
- gostar de coisas como: queijo, enchidos, salgados, fumados, francesinhas...
- o cansaço da própria dieta: a dada altura já só apetece fazer asneiras alimentares
- perceber que já perdi uns quilos e começar a comer "normalmente" de novo
- ganhar de novo todos os quilos perdidos

Hábitos saudáveis que já tinha:
- limitar o consumo de ovos (colesterol)
- não comer bolos, bolachas, pães com manteiga...
- fazer refeição de peixe quase dia sim dia não
- não usar natas, molho béchamel...





LinkWithin

Related Posts with Thumbnails