quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Controlar o peso nas festas

Hoje, deixo aqui umas dicas que já sei, mas que preciso de seguir de forma mais precisa, sobretudo nesta época de exageros.
Problemas de saúde impediram-me de regressar à natação, e tenho cometido mais erros: resultado mais peso! Por isso este Natal e passagem de ano vou:
- comer mais vegetais
- usar pouco azeite
- não comer queijos
- comer doces mas num pratinho pequeno e não repetir
- acompanhar a refeição com frutas laminadas
- cortar no pão
- fazer exercício depois da refeição sempre (caminhar, elíptica, correr)
- não beber mais que um copo de vinho

E em final de Janeiro, conto voltar ao número 55 na balança. Promessa de novo ano, claro está!

Links úteis:
Tabela calórica
http://www.pesocomunitario.net/doc/tabela_kcal.pdf
Bons conselhos
http://www.rituais.iol.pt/

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Vertigem


A cabeça rodopia, como se o corpo se precipitasse num abismo. Há ideias e sentimentos amalgamados. Insatisfações, vontades, desejos reprimidos e um tumulto interior ensaiado com direito a banda sonora.
Podiam ser ideias soltas rabiscadas para o guião de um filme: uma comédia de enganos ou drama amoroso. Não sei que tipo de filme seria, porque ainda não o vi. "Não me ligues, eu ligo-te!". Um café demasiado difícil de marcar. Um número de telefone escrito num papel. Uma chamada não atendida. Uma chamada de volta. Em inglês tudo soaria melhor: Well, I must say... I'm in a relationship. But I'm sure we can be friends.
O mundo dos adultos é complicado, arriscado. Pode parecer sedutor mas é simultaneamente decadente e inspirador de desilusão. Not like the movies... sem happy ending. Tudo se perspectiva negro no "the end". Não sei se pus um pé no filme, se me apeteceu entrar nele desde o início. Se estava a espera que fosse qualquer coisa diferente, inocente, romântica e divertida. Mas não é, nem poderia ser. "Tenho que começar por dizer-te que tenho uma relação" disse eu. Do outro lado oiço o mesmo. E há em mim qualquer coisa que se apaga ou esmorece, como se a crença na existência do amor fosse posta em causa.
We will meet up for a coffee one of these days... ou não.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Help


Olá, por aqui grita-se socorro, e grita-se de raiva. Duas borbulhas juvenis decidiram instalar-se na minha testa. A minha testa tem 28 anos, não tem 18. Eu uso cremes lifting e anti rugas, já não estou em tempo de acnes e afins. Será que só a minha pele é que não percebe isso e decidiu pregar-me uma partida? Além das duas borbulhas da testa tenho outras mais pequeninas pelo rosto, mas essas são mais fáceis de dissimular.
Não percebo, não admito, não tolero esta ofensa, esta crueldade: duas borbulhas onde devia haver uma pele perfeita, impecável. Pronto confesso, estou desesperada. Sim ontem mexi nas ditas borbulhas: não melhorou. Apliquei os truques que conheço: a água oxigenada não as secou, o Fucicort também não resolveu a situação. Hoje vou atacar com betadine... também ouvi falar na dica da aspirina mas não tenho aspirinas cá em casa...

Não sei se foi o chapéu que usei que ofendeu a minha pele sensível, se será do novo creme que uso, se será do tempo, ou se simplesmente o excesso de sexo que tenho tido me deu borbulhas, ou dos teenage dreams que tenho vivido, :) , ou será alergia? Pois não sei.
Mas dava jeito uma solução milagrosa, assim da noite para o dia. Alguém tem?

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Missão 55


2 semanas doente, que é como quem diz, 2 semanas de puro desleixo é igual a mais dois quilos! Sim, verdade verdadinha, tenho mais dois quilos que se instalaram pela falta de exercício, pelo pão, pelo queijo, pelos doces e pelas sobremesas que comi, porque me sentia fraquinha!
Pois bem, agora já estou melhor e bastou ver mais dois quilos para saber que é hora de retomar os bons velhos caminhos, entrar nos eixos e deixar de lado as tentações.

Por isso, hoje o meu jantar vai ser cogumelos salteados com feijão verde e frango grelhado, cenoura ralada, uma pêra ou uma maçã assada. E nada mais. Assim prometido pode ser que eu ganhe vergonha, faça as coisas direito e volte a ver o 55 na balança. Podem até achar que dois quilos não é nada de mais, pois não! Por isso convém que os elimine e depressa. Quarta feira volto à natação.
Vamos ver quanto tempo demoro a cumprir a Missão 55!
Gosto de mim magra e é assim que me quero manter.

domingo, 31 de outubro de 2010

Intimidade e bom senso




As últimas duas semanas foram diferentes daquilo a que me havia habituado, os meus medos deram lugar a algumas certezas e muitos mais medos. Fiquei doente: cervicalgia, contratura muscular, muitas dores de costas, de ombro e de pescoço a ponto de mal conseguir estar sentada, nem posição para dormir nem coisa nenhuma. Uma semana depois de uma fantástica passagem pela urgência hospitalar, e meia dúzia de injecções depois continuo com dores.

Durante estas 2 semanas que passaram não vos contei muita coisa, mesmo porque a bem dizer foram dias entre médicos, hospitais, fisioterapeutas, cansaço, além do trabalho (sim, porque ao contrário de colegas que faltam à menor constipação, não faltei nem um dia ao trabalho, coisa que duvido que os patrões percebam sequer!)
A parte pior é mesmo o exercício zero por estar doente e muita fome, por me sentir fraca, porque tenho medicamentos para tomar e tenho que comer, porque tive 2 quebras de tensão... ok, mas isso da fome pode ser psicológico.
Posto isto e tal como suspeitava, bastou uma oscilação de saúde para tudo descambar: tive que parar com a natação e não consigo fazer mais exercício nenhum. Vamos ver quando consigo voltar à normalidade! Eu espero que seja para breve.

A outra coisa que aconteceu e eu acabei por achar piada nestes dias em que andei super em baixo, foi ter sido assediada, quer dizer assediada nem é bem a palavra correcta... vá, o rapaz em questão (suspeito que seja mais novito que eu) alheio ao facto de eu ser casada (até porque não me conhece e eu não uso aliança...) convidou-me para um café já por 2 vezes, insistiu ainda que timidamente num encontro no fim de semana. Eu sorri, nem vejo muito mal no café, mas achei que era indelicado sacar da arma de arremesso e dizer logo "claro que sim, posso levar o meu marido?", por isso fiquei-me pelo sorrir, e acho que ele percebeu que havia ali algum impedimento. Anyway, achei piada ao flirt, end of story, não vai haver desenvolvimentos...
Posto isto, que atire a primeira pedra a mulher comprometida que não gosta de perceber que causa interesse, que é alvo de olhares, que no fundo percebe que é bonita e desejada.
Aliás tenho para mim, que esse género de flirt só apimenta a relação, é um lifting, uma lufada de um ar fresco, sobretudo porque cheguei a casa olhei para ele e pensei:"não te trocaria por nenhum outro"!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Distúrbios alimentares

Fui confrontada com Ortorexia, nem eu sabia o que era!
As pessoas à minha volta acham que tenho cá dentro uma bomba qualquer prestes a explodir: temem a anorexia, a bulimia e agora a ortorexia.
Eu na verdade só temo voltar a engordar, mas à parte desse medo sei que sou uma pessoa permissiva: que come pão com doce, que come queijo... tenho as minhas paranóias, pois claro: nunca uso mais de 2 colheres de azeite para cozinhar, lá em casa está terminantemente proibido usar banha ou manteiga para cozinhar, e nisso sou um bocado intransigente. Mas se vou jantar a casa de alguém ou a um restaurante, nem sequer me ponho com histórias, como o que tiver que comer sem grandes preocupações de como foi confeccionado (sei que à partida terá muuuito mais gordura do que se tivesse sido eu a fazer, mas pronto, paciência, uma vez não são vezes).
Claro que depende dos dias, às vezes fico de mau humor por comer algo que sei que não devia estar a comer, e isto dito assim coloca-me do lado dos ortorécticos. Também vou pensando ao longo do dia o que vou comer ao almoço, o que faço para o jantar, mas no início da dieta é que vivia em função disso, agora não. Acho que é normal haver este género de pensamentos e preocupações para quem passou uma fase de reeducação alimentar. E eu sei que ainda não tenho uma relação normal com a comida, luto para ter, mas ainda não tenho... e acho que vai levar ainda muito tempo.
Por outro lado tenho-me esforçado por ser mais racional e saudável (menos repressiva) em certas coisas: comer pão de manhã (que eu não comia) mas que é essencial para uma boa concentração. Comer iogurte durante o dia, porque andei uma fase em que os substituía pela gelatina, e sei que preciso de cálcio, e também terei que fazer por incluir mais fruta durante o dia.
É tempo de estar menos obcecada pelo peso e dar mais atenção a uma manutenção saudável e sustentável a longo prazo.

terça-feira, 12 de outubro de 2010

Uma vez gorda: gorda para sempre



Pois é, sou como qualquer gorda. Não há ex-gordas, nem gordas recuperadas. Uma vez gordo e ser-se-á gordo para toda a vida!

Porquê? Porque digo isto? Pois bem, é a mais pura verdade. Desengane-se quem acha que já emagreceu tudo e que agora pode fazer e comer o que lhe apetecer. Não é verdade. É tão simples aumentar de peso a uma velocidade impressionante comparada com aquela que penamos para perder um quilo ou dois.
Nas férias ganhei dois quilos, que perdi em 2 semanas. Agora depois da ida à nutricionista permiti-me abusar uma vez que tinha um quilo que podia ganhar: ganhei dois!
Venho aqui dizer-vos o quão difícil é perceber que reeducação alimentar é para a vida toda, que os bons hábitos são para ser levados a sério (quase) todos as refeições.
E só percebendo isso e aceitando viver assim faz sentido iniciar uma dieta alimentar. É preciso preparação psicológica para aceitar uma nova forma de viver.

Sei que não me posso dar ao luxo de viver como se fosse magra: não posso comer meio pacote de bolachas durante o dia como as minhas colegas, nem posso comer aquela fatia de bolo de chocolate ao lanche, nem os panados ao almoço.
Aprendi a viver de forma diferente e não me sinto mal com isso. Mas creio que me faz bem vir aqui admitir que não tenho super poderes e que não sou mais que os outros! Sou uma gorda na sua fase magra: só isso.

Quem me garante que amanhã estou doente e deixo de poder fazer exercício, ou deixo de conseguir cumprir a minha rotina alimentar?
Quem me garante que serei mais forte que todas as depressões e contrariedades da vida? Quem me garante que conseguirei ser forte e não descontar o meu sofrimento na comida?
Quem me diz que terei sempre emprego? Que faria eu se não tivesse emprego, nem horários, nem dinheiro para pagar a natação e os alimentos mais saudáveis?


A vida é uma coisa volátil, que foge do nosso controle. Ser magro, para um gordo, implica controlar de uma forma metódica toda a sua vida. Só continuarei magra enquanto conseguir controlar a minha vida, e muitas vezes (a maior parte das vezes) a nossa vida não depende da nossa vontade.

A minha força de vontade é grande... que Deus me ajude com o resto.

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Peso a menos

Algo que nunca na vida me passaria pela cabeça! Chegar à nutricionista, subir à balança e o veredicto: já tinha um bom peso na consulta anterior, acho que o peso certo para si é 57.
Pois é! A pressãozita da proximidade da consulta, depois de uns exageros nas férias de verão, deram-me força, fui mais regrada e ontem na consulta pesava 55.9 com roupa (em casa sem roupa tinha 55.3).
Sim, talvez seja de menos (mas para 1.64 m de altura é peso normal), mas eu sinto-me muito bem assim - aliás comprei agora calças tamanho 34 que pretendo continua usar, portanto passa a ser esse o meu número (I Hope). E está fora de hipótese agora querer aumentar 1 quilo... mas ao que parece o treino de natação que agora é muito, mas muito mais exigente, segundo a nutricionista, deverá dar-me mais um quilo de massa muscular até à próxima consulta, mas que isso não implicará aumento de medidas. Vamos ver!

Quanto ao resto da minha vida - no amor decidi aumentar a paixão e o romance, que é como quem diz, fazer a minha parte! E tem dado resultado!

Nas minhas manias de consumista quero:
- comprar um sistema de unhas de gel para fazer as minhas próprias unhas em casa (forno UV e acessórios), se alguém tiver conte-me tudo! Agora que uso unhas de gel, adoro, mas acho que o poderia fazer perfeitamente em casa!
-investir em bons cremes anti rugas (creme de dia, creme de noite e contorno de olhos) para combater o aspecto cansado, iluminar a tez e prevenir as rugas, quais os cremes e marcas que vocês usam?

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Sou humana

Sinto-me triste.
Parece-me que se avizinha mais uma depressão. Uma depressão Outonal, que chega à medida que o Sol vai perdendo o fulgor, à medida que as folhas amarelecem, caem e se enrolam à frente dos nossos pés.
Sinto-me triste: falta-me qualquer coisa. Nestes momentos persegue-me a ideia de que me falta qualquer coisa - invento coisas que gostava de ter, que quero comprar, que preciso, mas que na verdade percebo que não preciso de nada disso, e que esses desejos não são mais que a substuição de outra coisa qualquer.
Não sei se é comum sentir-me assim, mas acontece muitas vezes, de tempos a tempos.
Sinto-me desapaixonada, e magico em ideias tolas, penso se o meu amor ainda persiste e relembro o tempo em que tinha o coração em sobressalto, em que a paixão comandava os dias que se faziam em função do ver a outra pessoa, estar com ela, receber um telefonema ou uma mensagem. Fiz sete anos de casamento. Há quem fale na crise dos sete anos. A vida em sete anos já se fez de muitas crises, umas maiores que outras, coisas a que me adaptei, problemas que subsistem, problemas ultrapassados, temperamentos, feitios e vontades conjugadas, entre a minha persistência e jogo de cintura para ultrapassar alguns obstáculos. Às vezes penso que estou um bocadinho farta, às vezes penso que pensar isso é uma tolice. Muitas vezes não penso nada disso e vejo que problemas à parte estar juntos faz sentido e vale a pena.
Não sei. Hoje sinto-me triste e apetecia-me estar apaixonada como quando tinha 18 anos. E apetecia-me comer chocolate. E apetecia-me surpresa, romance, um amor lindo, sorrisos cúmplices, coisas de miúdos, simples, sinceras e inocentes. A vida ensina-nos demasiado e definitivamente tira-nos a inocência. Tenho a sensação que não seria capaz de amar mais ninguém, mas também já não acredito naquilo que acreditava quando tinha 18 anos. Hoje eu tenho 28 anos, e sei que a paixão não dura para sempre e o amor não sei... nem sei se o sei. Talvez tudo se resolvesse com chocolate.
E como dizer à pessoa que se ama tudo isto, sem tornar isso numa crise, e sem abalar a relação? Não sei quanto tempo passará até o dizer...

Só sei que não comerei chocolate.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Little black dress


... sem medo! Usei um vestido preto, fluido, e senti-me muito bem. Uma clutch e as sandálias Aldo (super altas!) compuseram o look. E senti-me quase a rainha da festa: de bem comigo, de bem com a minha imagem, sem receios. Lembro-me de rir, de dançar, de me sentir livre e espontânea - coisa que muitas vezes, a maior parte das vezes, não era. O fim de semana foi de festa para mim: gostei de me ver nas fotos, ouvi elogios and so on, and so on...
Esta semana, de volta para compensar os doces, os queijos, as iguarias gastronómicas.
Será um Outono na senda do equilíbrio e da manutenção do peso. Ando sem tempo mas continuo na luta!

domingo, 5 de setembro de 2010

Multifunções


A semana voou! O regresso ao trabalho fez-se com algumas novidades, tenho combinado o trabalho com formação. Depois do trabalho ainda corro para umas aulinhas, e depois das aulas, além do jantar ainda tenho feito o esforço de dedicar algum tempo à organização da casa/roupa, etc... Ou seja, não parei! Basicamente, saio de casa às 8 da manhã, entro em casa às 21:30, já só me deito depois da meia noite ou 1 da manhã, e lá estou eu a acordar às 7!
Tive ontem a primeira aula de natação da temporada, bem puxadinha por sinal! Depois da natação, um almoço rápido, passei a tarde numa reunião. Resta-me a tarde de hoje e PUFF, acabou-se o fim de semana!

Esta semana de início, o que falhou mais foi mesmo o exercício. E creio que só serei capaz de fazer abdominais de manhã, se me conseguir pôr a pé mais cedo, senão vou mesmo ficar-me pelas aulas de natação! Vamos ver como me organizo esta semana.

A parte boa: já estou de novo com o peso aceitável de 57.1 Kg! Bastou regressar ao trabalho e à rotina de almoço para tudo entrar nos eixos!

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Anoréctica?


Regressei ao trabalho com mais 2 quilos, ah pois, também sou humana, cometo erros, e estas férias cometi muitos! Se estou muito preocupada com isso? Nem por isso, sei que manter o peso inclui estas oscilações, e agora que volto ao bom caminho do trabalho e da rectididão, tudo há-de voltar aos eixos! :)

O mais estranho disto e que tenho que partilhar convosco, é que precisamente agora, me aconteceu de duas pessoas, um homem, e depois uma mulher, no mesmo dia, sem qualquer relação entre eles me terem falado de anorexia. Ele disse que eu estava muito mais magra e a dada altura, em tom de brincadeira (assim o interpretaria) chamou-me anoréctica. Ela, elogiou-me, mas a dada altura da conversa alerta-me para não emagrecer mais, que fico com a cara e ossos muito expostos, que a anorexia era coisa de modelos e que eu não tinha necessidade nenhuma disso.

Será que alguém que passa as férias a comer como um alarve, a visitar (e a comer claro está!) feiras gastronómicas, doces alentejanos, croissants no pequeno almoço do hotel e muito queijo as férias todas, pode ser confundida com uma anoréctica? Será que sou eu que não sei o que é a anorexia, ou eles confundem o facto de ter emagrecido com a vontade de continuar a emagrecer? Ou acharão, como a minha mãe que eu emagreci de mais?

Pois bem, é que eu vou ter agora de perder os dois quilitos que as férias me trouxeram! Ontem o programa cultural venceu a meta de passar roupa a ferro, vamos ver hoje, quem ganha a disputa entre o dever e o querer! Ainda não retomei o exercício, e amanhã tenho uma festa de anos. O mundo conspira contra mim!

domingo, 29 de agosto de 2010

Regresso


Já marquei o despertador para os próximos dias para as 7:15, sinal de que regresso ao trabalho, nem mais. Mas também regresso à normalidade alimentar (assim o espero), às boas rotinas de exercício físico, às aulas de natação... e tenho também uma série de promessas de mudança na minha forma de organizar as coisas, definitivamente vou ter que arranjar tempo para tudo - casa, trabalho, arrumações, estudar, fazer que coisas que gosto, fazer exercício. Pois, o complicado é que para quem sai de casa às 8 da manhã e entra às 19:30 isso fica complicado, ainda mais complicado porque em 3 dias por semana só chego depois das 21:00.
O meu problema é mesmo conseguir conciliar, marcar horários para tudo e cumpri-los... já me estou a imaginar com uma lista de tarefas do género "passar a roupa a ferro às segundas das 22 às 23, aspirar a casa das 19:30 às 20", vida complicada!
E no meio disso arranjar tempo para o resto todo: boa disposição, disposição para fazer exercício, disposição para namorar.
Acho que vou dedicar os próximos 10 minutos a elaborar a tal lista, e passar os próximos tempos a esforçar-me por segui-la à risca. Depois conto se estou a conseguir ou se morri no entretanto!

Não perca o próximo episódio de "uma profissional a tempo inteiro e dona de casa desesperada a tentar manter o peso" !

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Fall Trends


Ultra femininas as combinações com peças de ar masculino que o Outono promete. Estou apaixonada pela campanha publicitária da Chloé: transparece uma mulher chique, sóbria, feminina e independente.
Talvez eu esteja a projectar nesta imagem aquilo que desejo para minha própria imagem, é bem provável! Mas isso já é sabido, a moda mexe aqui com a máquina dos sonhos e eu como boa consumista que sou, já me adivinho na demanda por um casaco bege de fazenda em corte clássico, uma mala de boa pele, as calças fluidas num tom neutro.

Tenho reparado que me tenho dado mais atenção agora: preocupo-me com tudo - a depilação completíssima, sobrancelhas arranjadas, unhas cuidadas e pés tratados... preocupo-me com as peças que visto (agora que já não são as peças que me escolhem, mas eu a elas). Também não cedo à tentação do baratinho pechincha em saldo - estou a educar-me para saber comprar, isto é, saber o que realmente preciso, o que vou usar e me fica bem. E isto é um exercício e tanto!
E neste momento o meu modelo de bom ar é Rachel Zimmermann - cujo estilo elegante e sóbrio pretendo combinar também com peças menos formais para aligeirar. Mas sem dúvida, o meu guarda roupa vai compor-se tons camel, pastel e azul escuro, castanho avermelhado/alaranjado nos acessórios...

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Un.do


Quantas vezes sentimos que devíamos ser como os computadores e aceitar o comando undo? Que é como quem diz, ter o botão desfazer. Apesar de parecer que tudo funcionaria melhor, a piada é que nós não somos capazes de fazer um backspace, erase and rewind ou um delete. Cada um dos nossos actos fica gravado em nós de alguma forma mesmo que o esqueçamos, aliás cada uma das experiências que temos vai nos construindo e moldando, somos até ao fim um peça inacabada.

Ontem regressava de uns dias de férias e já vinha a pensar que dava jeito um undo para as coisas que fui comendo. Ainda por cima porque sei que os maus vícios ficam depois de uns dias de maus hábitos (bolachas, doces e gelados, uma alimentação menos controlada por força das coisas, muitas coisas boas e pouca preocupação). E vinha a pensar que depois de subir à balança era hora de arrumar tudo e voltar aos bons hábitos, à regra... Mas como a balança não me deu más notícias, cheira-me que ainda me vou andar a portar mal mais um bocado e em Setembro volto aos eixos! É que ainda há restaurantes onde quero ir, e feiras gastronómicas e dias de férias de boa vida (apesar da chuva que atraiçoou a minha vontade de me deitar ao sol hoje).

Entretanto já andei bastante, já visitei monumentos a perder a conta, fiz muitos quilómetros de carro e também a tal promessa a pé (foram 9 horas a andar sem parar, cerca de 42 quilómetros, e cumprida a promessa acabei por me sentir vitoriosa em relação ao desafio).

E agora outro tema: a chuva fez esquecer que o Verão ainda dura e já me deu vontade de ir às comprinhas da colecção outono/inverno... e porquê? Uma razão... ou duas - a roupa do ano passado está larga e as colecções deste ano são lindas! Calças, casacos, camisolas, malas, vestidos e botas - I love it all!

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Promessa

Estou em vias de fazer a tal caminhada, a grande (mais de 40 Km), como prometido.

Há quem diga que só se recorre ao sagrado quando nos vemos em apertos, que é como diz, somos uns egoístas que não sabemos viver a religiosidade de forma correcta e coerente. E nisso até concordo, acho que é verdade.
Pois bem, eu estava num enorme sufoco, não via saída para o meu problema e não sabia que fazer. Subi à balança e tinha mais de 100 quilos e isso deixou-me de rastos (a verdade dos números). Achava impossível perder peso, era coisa que eu já tinha tentado fazer, resultou por um tempo mas não deu certo- o peso perdido regressou acompanhado com mais uns quilos.

De há uns anos para cá, tinha-me desligado da religião: deixei de ser a pessoa que ia à missa todos os domingos, que cantava no coro e aspirava dar catequese. Mas este era o lado rotineiro da religião. Mantive a fé, só não a exercia. Como os outros, mantive também este lado pagão da fé: o das promessas. Já tinha visto muitos casos de promessas que resultaram, e eu, sem saber para onde me virar, voltei-me para o divino.
Falei de cá de baixo da minha pequenez humana e pedi ao São Bento que me ajudasse a ficar mais magra (pedi para perder 30 quilos na altura), pedi também que não tomasse o meu pedido como acto de vaidade ou egoísmo, pedi que me fizesse melhor pessoa, e que me tornasse capaz de com isso ajudar os outros.
Perdi todos esses quilos e mais alguns. Por cada 5 quilos que perdia deixava um ramo de cravos numa capelinha de São Bento. Agora está na hora de cumprir a outra parte: ir a pé desde minha casa até o seu santuário. Que assim seja, e que São Bento nunca me abandone.

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

De que matéria são feitos os sonhos

Acordei por volta das 6 da manhã, uma hora mais cedo que o costume. Levantei-me, olhei lá para fora: um céu ainda com pouca luz.
Decidi-me: pus uns calções, uma t-shirt, calcei os ténis e fui correr. O ar da manhã ainda frio a bater na cara, o orvalho nas ervas, o solo duro sob os pés, a brisa na folhagem das árvores. Nada melhor. Exercício ao ar livre logo pela manhã requer uma dose de coragem e desprendimento (da cama sobretudo), mas é ali que sabe melhor - é a realidade palpável, onde testamos o corpo contra a natureza, onde experimentamos também a harmonia e desfrutamos a sensação de liberdade e de vitória. Foi meia hora de corrida, muito bom. Regressei a casa, para um banho, arranjei-me e vim trabalhar- fresca e enérgica!

Os sonhos constroem-se, trabalham-se e moldam-se da nossa vontade, do nosso suor, da nossa luta. Chego a pensar que é incrível ter chegado aqui... não sou nada o género "eu vou conseguir, tenho é que ver o lado bom das coisas" . Estou sempre a ver o lado menos bom, a desencantar os resquícios de mal que possam existir até mesmo naquilo que supostamente deveria deixar-me feliz. Não aceito as coisas boas de forma fácil, questiono, desconfio e analiso. Eu não sei ser simples, não sei aceitar e ser feliz (habituei-me a trabalhar e a lutar por tudo, e nunca nada me foi dado...), talvez eu nem acredite nos sonhos, mas acredito que posso ser eu a fazer alguma coisa por mim.

quarta-feira, 11 de agosto de 2010

Medo da balança

Ai Agosto, que é como que diz: tudo a gosto! São gelados, docinhos, os jantares, as entradinhas, as bebidas brancas... e fica muito difícil dizer que não a tudo. Eu, particularmente disse muitos sim na última semana: comi queijos, doce de figo, os baldes de pipocas nas duas idas ao cinema (Shrek e Toy story), as excepções, a falta das aulas de natação: permissão a mais e exercício de menos... o que é certo é que passei a ultima semana inteirinha sem subir à balança. Entre medo de ter aumentado de peso e a pressão de saber que não me posso desleixar, hoje ao chegar a casa lá subi... fiz figas para que visse no máximo um 58... mas em vez disso: 56.5!
Como é que é possível? Fiquei feliz pois claro! Apesar de ter assumido que o meu peso está em fase de manutenção, não pude deixar de ficar excitadíssima com este peso.
Talvez agora mais animada por inúmeras razões, estou no modo "lado bom".

E sabem que mais? Podemos não conseguir mudar o mundo... mas podemos mudar-nos a nós próprios.
Ainda que por vezes sejamos tomados pelo desânimo e desalento, ainda que custe e vacilemos nalguns momentos... eu diria que vale muito a pena! Ainda bem que decidi perder peso: e não quero de maneira nenhuma esquecer ou ignorar o meu passado, ele faz parte de mim. Há sempre perspectivas que nos falham, e há muitas coisas que agora vejo melhor deste lado. Mas nunca nos devemos esquecer de onde viemos, sob o risco de voltarmos a ver águas passadas moverem moinhos.

Definitivamente, gosto mais de mim assim. :)

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

... continuação


Desde já o meu grande ( mesmo muito grande) obrigado a todos quantos me incentivaram no último post. Não sou o género de pessoa de me andar a lamentar. Estou mesmo a passar uma fase complicada de adaptação, de regeneração interior...

Ontem tive uma looonga conversa sobre isto com o meu companheiro. Expus os meus medos, as minhas ânsias, expliquei várias coisas que eram importantes pôr cá para fora:
- que me deixei engordar porque não consigo pensar em tudo aos mesmo tempo, passei 5 anos no modo licenciatura e só isso importava, conclusão, não sei gerir o todo
- que tenho consciência da vida que deixei para trás ao ser gorda/obesa, isso impediu-me de fazer muita coisa
- que o meu peso e a minha imagem afectaram a nossa relação
- que sinto agora uma enorme pressão para não voltar a engordar
- que não seria capaz de enfrentar as pessoas ou mesmo o meu parceiro se voltasse a engordar
- que tenho medo de engravidar porque não me consigo imaginar a ganhar volume de novo e com medo de não o voltar a perder
- que me sinto mal e insatisfeita com o meu corpo apesar de reconhecer que estou óptima, e me sentir bem nele
... e a conversa durou. Custa um bocado falar de "quando eu era gorda" ou mesmo ouvir "quando tinhas mais peso"... mas acho que foi importante.

Falei-lhe de como este processo todo me deixou um bocado sem pé - não me reconheço no antes, e ainda me estou a adaptar à imagem de agora. E apesar de gostar de me ver, sinto que toda eu sou uma pessoa diferente - não é só o físico que mudou, mudou também a minha forma de pensar. Nisso parece-me que sou outra pessoa, sem saber quem ou o que mudou ao certo.

Não quero que pensem que estou desanimada, estou só neste processo de adaptação. E quero poder desfrutar descansada o meu novo corpo, o meu novo eu. É complicado centrar uma luta no peso e achar que a fórmula da felicidade se reduz a menos quilos, a ser magra. Não é verdade, ajuda muito sim! Olham para nós de outra forma por sermos magros. Qual de nós não se sentiu já descriminada por ser gorda? No trabalho, numa loja... e quantos exemplos podia dar. Ganhamos sempre ao perder peso e conquistar uma vida mais saudável. Há quem tenha a sorte de ficar com o corpo espectacular. No meu caso não foi assim, ficaram marcas (usem e abusem todos os dias dos cremes para evitar sequelas!). Mas ainda assim o ganho é maior senda magra com umas imperfeições aqui e ali!

terça-feira, 3 de agosto de 2010

M - manutenção


Ontem foi dia de consulta, e talvez pela primeira vez, foi uma consulta onde eu estava triste. Se durante todo este processo fui ficando feliz assumindo como uma vitória cada quilo perdido, isso já não tem acontecido.
Apesar de ter assumido este peso como o peso a manter, ainda assim a minha cabeça pressionava-me a ter nesta consulta um peso mais baixo que na anterior - foi muito tempo a perder peso, e isso faz com que agora seja psicologicamente complicado assumir com naturalidade um peso superior. Subi à balança e tinha 57.5 com roupa, na consulta anterior tinha 57.9.

Mas era mais do que isto, os meus problemas definitivamente já não estão no peso, estão disseminados numa série de outros assuntos que me andam a afectar imenso.
Apesar de ser uma pessoa bem disposta, não sou o género de estar sempre feliz: volta e meia sou assaltada por uma apatia, fico no meu canto calada, meto os phones e oiço a minha música alheada do que está em volta. Choro aparentemente sem motivo, fico sem vontade de fazer nada.
E é isso que me está a acontecer neste momento. Sei que é uma fase pré férias, uma fase de sobrecarga e de acumular de stress e que eu já dei tudo o que tinha a dar.
Mas aliado a esta fase de cansaço natural está a minha tristeza e insatisfação: com o meu corpo que não resistiu bem ao facto de ter perdido 44 quilos- ficaram estrias, peles a mais, um peito vazio e sem forma, ossos expostos de um lado e uma barriga, umas coxas uns braços longe de serem aquilo que eu considero ser um corpo bonito. E nesta altura deparo-me com corpos bonitos e invejáveis em todo o lado ( praia, piscina, rua ...) e isso intensifica a minha noção de que não tenho o corpo que gostaria de ter apesar de estar magra, ter um IMC normal, fazer exercício e ter uma vida saudável!

Sei que o ser humano é naturalmente insatisfeito. E eu acho que é perfeitamente natural não me sentir satisfeita. Sei que devia estar feliz por ter conseguido perder o peso que perdi e ter o corpo que tenho hoje, mas em vez disso assaltam-me os medos (de voltar a engordar), a tristeza (de não ter o corpo perfeito).

Entre outras coisitas que contarei mais tarde...

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Aliados da alimentação


A alimentação não tem que ser feita com base na total restrição, mas não convém deixar que seja exactamente o contrário. Há bons aliados para conseguir lanches saborosos, prazeres que nem sequer fazem suspeitar que são light. Na reeducação alimentar temos que fazer as contas e substituir o mais pelo menos (calorias), mas se for possível não renunciar ao sabor e ao prazer tanto melhor! Só assim se conseguem hábitos alimentares sustentados e que não abandonaremos ao virar da esquina.
Deixo-vos a minha lista dos light - bons e baixos em calorias [há quem não goste de consumir adoçantes, entre o açúcar e os adoçantes eu prefiro ainda assim os adoçantes]
1- iogurte corpos danone sólidos ou líquidos: 55 Kcal por unidade
2- queijinhos vaca que ri light: 29 Kcal por unidade
3- coca cola zero: 1 Kcal por unidade
4- compal romã e chá verde: 22 Kcal por unidade
5- gelados Frutare da Olá: 60 Kcal por unidade
6- gelatina Royal: 10 Kcal por unidade
7- fruta: é boa e faz bem, não tem edulcorantes, nem conservantes: melão, melancia tem cerca de 25 kcal por 100g

Emagrecer com prazer é bem mais simples que o que parece!

domingo, 25 de julho de 2010

Exercício: bola de pilates


Hoje inauguro um novo tipo de exercício, que estou ansiosa por descobrir mais sobre o assunto: a bola de estabilidade ou bola de Pilates. Comprei uma e agora estou a ver uns vídeos no Youtube, perceber como funciona, e se tiverem dicas, se já souberem algo sobre o assunto, contem-me tudo!

Não é muito difícil fazer exercício, basta querer. Cá em casa tenho uma bicicleta elíptica, pesos, a bola de pilates e um tapete para fazer exercícios, abdominais... depois, lá fora é possível fazer muito mais: caminhadas , corridas, ténis... E com pouco investimento é possível fazer muito pela nossa condição física! E assim sendo, não há desculpa: mexam-se!

Apesar disso, o exercício que tenho feito não é muito: ontem 45 minutos de natação de manhã, piscina e sol de tarde... hoje apenas uns 45 minutos de ténis debaixo de um calor que não se podia, e agora aqui estou eu a investigar sobre a tal bola milagrosa! Ao que parece há quem a use para estar sentado ao computador!
Alguém por aí que faça pilates ou que use a bola?

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Não recuperar os quilos perdidos


Como penso em todas vocês, e sei que no fundo as minhas ânsias e medos são também os vossos... aqui vos deixo o artigo que li e que também gostarão de ler certamente.
Ok, não é nada que já não soubéssemos, mas é sempre bom relembrar!
Leiam e depois partilhem comigo o que acharam.
A mim, o que mais me impressionou ou meteu medo, foi o facto de a maior parte das pessoas recuperarem todo o peso perdido 2 anos após fazerem dieta... isso assustou-me. É incrível como somos capazes de nos esquecer do que passamos, do que lutamos tão depressa e deitar tudo a perder. Essa foi mesmo a parte que me deu mais que pensar... o resto, a alimentação, o que comer ou não: acho que cada um aprende aquilo que é melhor para si.

Link para o artigo (scan da revista):http://www.box.net/shared/l8o4oug2lm

terça-feira, 20 de julho de 2010

[S] de Ser feliz

Há sítios que nos encantam, onde podíamos passar os dias calma e sossegadamente. Água e sol... depois mais um banho no rio, uma caminhada, andar de canoa e espreguiçar junto à água de novo.
Onde? Aqui.

Foi assim o meu fim de semana, de puro prazer e deleite, mas também de algum esforço que remar ainda puxa pelos braços! Também foi fim de semana de boa comida e boa bebida... o costume, que acrescenta sempre umas gramas! Portanto vou tentar controlar-me durante a semana.
Definitivamente, tenho de ver se me esqueço, que tenho no frigorífico um belo gelado...

Na hora de almoço, tenho tentado resistir aos saldos para não comprar peças desnecessárias. Tenho que me convencer que mais vale investir bem. Hoje, em vez da roupita, comprei a sábado, a tal do "não engordar depois da dieta". Acho que me vai fazer bem ler. Porque sou, sem dúvida, mais feliz dentro de um S.

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Work harder



Pouco mais de sete e meia da manhã e já estou toda suada e ofegante. Razão? levantei-me às 7 da manhã para fazer abdominais e "tirar o pó" à bicicleta elíptica que já não usava há meses.
Nos últimos tempos não tenho feito muito exercício: a natação, caminhadas e nada mais.
Ontem depois da aula da natação que me deixou KO, e cheia de fome, é claro, lá me empanturrei de pão e queijo e tal...
Hoje quando acordei (com o peso na consciência e no corpo!) lá me motivei a sair da cama e vir fazer um bocado de exercício.
E tenho a certeza que hoje vou ter muito mais energia e ânimo durante o dia. E ai de quem me quiser tornar o dia cinzento. Porque eu vou tomar as rédeas da minha vida e encaminhá-la para onde eu entender.

Não deixem que sejam outros a escolher os vossos caminhos, não se deixem levar por uma beirinha (como se diz aqui no norte). Já perdemos tantos quilos, agora vamos mostrar ao mundo que somos capazes de ganhar: o que quisermos!

Daqui a nada estamos no fim de semana. I can´t wait! Shorts, t-shirts, calorzinho e boa vida. What else?

domingo, 11 de julho de 2010

Sobre outras dietas impostas


As últimas semanas tenho pensado muito nisto: o IRS que aumenta, o IVA que aumenta, as pessoas que baixam as calcinhas e oferecem o rabinho para que as (F) lixem sem sequer reclamar. Os aproveitamentos que são feitos devido ao estado económico em que estamos, o argumento da suposta crise... os atropelos aos direitos dos que trabalham, o roubo a que assistimos!

Não penso só em mim quando falo disto, penso nas pessoas todas que sofrem as injustiças a que assistimos, as injustiças que todos pagamos. Não adianta tentar enfiar a cabeça debaixo do travesseiro, mudar de canal na hora do telejornal, não adianta fingir que está tudo na mesma, porque não está.
Chegas ao fim do mês e o salário ou desceu (por causa do IRS) ou é o mesmo (sinal que não foste aumentada). Chegas ao café, e em vez de 1%, o café subiu 5 cêntimos, o almoço subiu 50 cêntimos, cada um dos produtos de super mercado subiu. Na minha lucidez que insisto em não varrer para debaixo do tapete, percebo que o meu salário efectivamente mingou, percebo que não há sinais de aumento à vista, vejo que o meu tempo é escasso para fazer o que gosto, que gasto para trabalhar 12 horas do meu dia, passo 8 a dormir (com sorte), sobram umas míseras 4 horas que servem para chegar a casa, fazer o jantar, pôr roupa a lavar e a secar, jantar e pouco mais.
Pedem-nos sacrifícios patrióticos? Pedem-nos sacrifícios no trabalho? Pedem-nos que aceitemos com resignação este salário, esta vida? Em nome de quê? Do lucro deles? Do tempo de qualidade, da capacidade económica , das férias deles! Trabalhamos para que outros vivam melhor! É indecente, é triste...

Não percebo porque é que as pessoas não saem para a rua e fazem como os gregos! Acho que por natureza preferimos ver o que de bom temos e com isso abafamos as situações ultrajantes a que assistimos. Querem exemplos?
- Ai, que ganho tão mal! Mas podia estar pior, podia não ter emprego.
- Vivo para o trabalho, e não tenho tempo para nada! Se estivesse desempregada tinha tempo e não tinha como o usufruir.
- O país vai mal, somos mal conduzidos, assisto a injustiças de todo o género! Mas ao menos fico feliz por ter uma família, por ter mãozinhas e perninas. Estamos mal, mas podia ser pior.

Sabem que mais? Nós pensamos mal. Ensinaram-nos a vida toda a aceitar, a resignar. Somos demasiado "vão-se os anéis, ficam os dedos" e nessa alienação não vemos que nos estão a levar os dedos também.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

Uma nova aventura



Depois de uma sexta feira terrível em que passei mal o dia todo: fraca, com tonturas... só mais tarde, mesmo ao final da tarde percebi que se tratava de falta de açúcar. Percebi que tal não se pode voltar a repetir, porque mesmo me apetecendo açúcar achei que era um capricho da minha mente e não prestei atenção ao corpo. Percebi depois que a hipoglicemia é coisa séria, pode mesmo levar à morte. Estou atenta, vou passar a tomar bons pequenos almoços e estar alerta para os sinais.
Acabei por compensar essa falta com muito gelado de caramelo!
E como na minha vida ando sempre a compensar, fui depois compensá-lo com uma experiência nova, que me deu cabo dos bracinhos e dos ombrinhos... kayak, Autch! Mas foi muito bom!
Agora é que me apercebo das coisas que não fazia quando era gorda. A vida melhorou, sem dúvida!

sábado, 26 de junho de 2010

Depilação a laser



Olá meninas.
Estou aqui com uma dúvida existencial. fazer ou não fazer depilação a laser ( ou luz pulsada). E porquê?
Como faço natação, estou constantemente a depilar as virilhas, seja como máquina ou cera, e já tenho muitos pelitos encravados. O que não é nada bonito, e eu não gosto. Vai daí, sei que há agora inumeros centros que já fazem a chamada depilação definitiva, e estou tentada. Mas não convencida.
Há diferenças entre o laser e a luz pulsada e continuo sem saber qual o melhor.
Os preços nem sempre são convidativos e há uma tal disparidade de preços, que é impossível não desconfiar do que é mais barato.
Tenho medo das queimaduras. E tenho medo de gastar dinheiro em n sessões para nada! Há quem fale que não teve grandes resultados, há quem diga que ficou a bem dizer sem pêlo em 2 ou 3 sessões.

Eu como não passo sem vocês, queria pedir-vos conselhos e referências, experiências que tenham ou conheçam, etc...
Se tiverem boas referências de centros do Norte do país, eu agradeço!

O que li foi a informação que me disponibilizaram na clínica não+ pêlo. Aí cada sessão custa 30 euros, qualquer que seja a região a tratar, mas eu já vi outro centro de estética onde as virilhas ficam a 20 euros por sessão.

terça-feira, 22 de junho de 2010

Em manutenção: 1 mês

Estou em manutenção há 1 mês. Com oscilações entre o 57 e qualquer coisa e o 58 e qualquer coisa.

Quem já esteve ou está em fase de manutenção deve saber que isto de equilibrar as coisas é um bocado complicado. Tento manter a rotina de algum exercício por um lado (apesar da preguiça) , mas tendo a cometer mais deslizes alimentares por outro. É só um mês, e não dá para analisar muito. Até agora tenho a dizer que me sinto bem com o peso que tenho, mas sei que preciso de fazer mais exercício para tonificar e não me posso descuidar nisso.

A alimentação, com um doce aqui e um abuso ali, já se permite alguma falha à regra. Sempre ali no limiar entre o aceitável e o exagero. E normalmente só me apercebo que exagerei depois, e já vou tarde.

Como disse, esta manutenção está no inicio e há muito pouco a concluir.

Mas é o primeiríssimo Verão com este peso, porque eu na verdade nunca me conheci magra, nunca fui magra, e na minha vida entre os 20 e os 30 só me lembro de dois momentos excepcionais em que pesei 70 quilos e esse foi o peso mínimo. Portanto agora: i'm just enjoying!

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Bons conselhos

Encontrei esta informação tão sistematizada e directa que me pareceu bem partilhá-la convosco!

1 A primeira coisa

Antes de começar a fazer dieta questione-se se está realmente preparado e motivado para perder peso e manter esta perda a longo prazo. Não é fácil, porque implica mudanças nos hábitos nutricionais e de vida, incorporando exercício físico na rotina diária.

2 Faça uma lista das razões pelas quais quer perder peso

Pegue numa fotografia do seu estado actual. Será muito satisfatório ver a diferença à medida que vai conseguindo atingir os seus objectivos.

3 A importância de um objectivo realista

O objectivo é conseguir uma perda de peso progressiva e aprender a adoptar hábitos alimentares adequados. Não deve perder mais de um quilo por semana. Caso contrário, para além de gordura, estará a perder água e tecido magro. E só se deve pesar uma vez por semana.

4 Registe tudo

É muito útil fazer um registo de alimentos e escrever num diário tudo aquilo que come em cada dia. Anote também as horas das refeições

5 Não descure o exercício

Também é aconselhável fazer algum exercício. Não é preciso ser um desporto extenuante.

O importante é incluir actividade no seu quotidiano. Use menos o carro, prescinda do elevador, vá a pé para o trabalho ou às compras e dance...

6 Não salte refeições!

É muito importante não saltar nenhuma refeição. Já sabe que deve fazer três refeições principais por dia (pequeno-almoço, almoço e jantar) e refeições intercalares. «O importante é nunca ficar mais de três horas sem comer, pelo que é possível chegar a fazer entre seis e nove refeições diárias», diz a nutricionista Magda Roma.

7 Alimente-se com calma

Coma sentado à mesa, tranquilamente, num ambiente agradável, dedicando-lhe o tempo que for necessário. Enquanto come, tente não se distrair com outras coisas (ler, ver televisão, ouvir rádio, falar ao telefone, etc.). E mastigue cada pedaço de comida, pelo menos, 10 vezes antes de engolir. Sentir-se-à saciado mais depressa.

8 Nada de petiscos

Evite petiscar entre refeições. Quando servir as refeições, não deixe travessas à vista na mesa. Limite as suas refeições a um só lugar. Nunca leve comida para o quarto ou para o escritório.

9 Dentes sempre limpos

Lave os dentes imediatamente a seguir às refeições. Se tirar o sabor a comida da boca, não pensa tanto nela.

10 De manhã é que se começa o dia...

Faça um pequeno-almoço equilibrado, tranquilo, e inclua fruta e um lacticínio magro. Está provado que a ingestão calórica diáriatotal é maior nas pessoas que não tomam o pequeno-almoço.

11 Atenção às quantidades

Não é preciso pesar os alimentos. Basta comer apenas um prato de cada coisa, sem repetir.

«Um prato normal deve ser dividido em quatro partes, nomeadamente 1/4 para arroz ou massa (hidratos de carbono), 1/4 para vegetais ou hortaliças e 2/4 para carne, peixe, grão, feijão ou soja», refere a nutricionista.

«Para uma menor ingestão calórica, substitua o prato normal por um prato de sobremesa e faça a mesma divisão. Psicologicamente, achamos que o prato está cheio sentimo-nos tão saciados como de comêssemos num prato normal», acrescenta ainda esta especialista em nutrição.

12 Cozinha alternativa

Escolha formas de cozinhar mais saudáveis, nomeadamente ao vapor, cozidos ou escalfados, no forno, no microondas, ao sal, grelhados ou em papillotes... Evite os fritos, panados, refogados, estufados, guisados e os molhos. Use azeite mas só duas ou três colheres por dia, uma vez que também é muito calórico (uma colher tem cerca de 90 calorias).

13 Reforce os líquidos

Beba cerca de dois litros de água por dia. Também pode beber gasosas, todo o tipo de infusões (sem açúcar) ou refrescos light à vontade. Relativamente às bebidas alcoólicas, apenas um copo de vinho por dia.

14 Cozinhe em casa

Modere a ingestão de alimentos pré-cozinhados e de molhos. Use pouco sal. As especiarias e as ervas aromáticas são mais saudáveis para temperar.

15 Resista ao pecado da gula

Evite os doces (açúcar, mel, pastelaria, guloseimas, gelados, chocolate, etc.). Pode usar adoçantes sem calorias (sacarina ou aspartame).

16 Aposte no integral

Aumente a ingestão de alimentos integrais e ricos em fibra (frutas, verduras, hortaliças e leguminosas).
E, lembre-se, coma, pelo menos, cinco porções por dia.


17 Seja um osso duro de roer

Os alimentos de consistência dura (por exemplo, as saladas de verduras cruas) requerem maior tempo de mastigação e trabalho gástrico, para reduzir a sensação de saciedade e de estômago vazio.

18 Deslumbre-se com os magros

Substitua os lacticínios gordos e meio-gordos pelos magros.

Evite também os queijos curados porque são muito gordos e calóricos.

19 As melhores carnes para a dieta

Pode comer todo o tipo de carnes magras, desde que lhes retire a gordura visível, mas não enchidos.

20 Os peixes recomendados

Quanto aos peixes, todos são bons, menos os que são conservados em óleo. «Hoje em dia já existe atum conservado em água, uma opção saudável a adoptar», recomenda Magda Roma.

21 Naturalmente saudável

Se tiver fome durante o dia, coma uma peça de fruta ou um vegetal cru, como a cenoura ou o pepino.

22 Nas compras...

Quando for às compras, escolha sempre as opções mais saudáveis. Faça uma lista prévia dos alimentos de que precisa para as ementas da semana e cinja-se a ela. Outro aspecto muito importante tem a ver com os horários. Vá às compras depois de comer para evitar cair em tentação.

23 Fuja à tentação desnecessária

Tente guardar os alimentos mais tentadores longe da vista.

24 O que fazer com as sobras

Tenha cuidado com as sobras, o melhor é guardá-las para o dia seguinte ou congelá-las.

Muitas pessoas comem as sobras com pena de as deitar fora.

O ideal é não cozinhar demasiada comida.

25 Cuidado com o convívio à mesa

Se quiser continuar a conversar depois da refeição, tudo bem, mas antes disso retire toda a comida da mesa.

terça-feira, 15 de junho de 2010

Eu não sei gerir isto


Ontem consegui cumprir alguns dos objectivos da missão:
- reduzi os hidratos de carbono ao jantar a apenas 2 colheres de arroz
- fiz uma caminhada depois de jantar e já não tive pachorra para os abdominais
- não comi queijo
- não comi doces

O que me irrita é que não consigo conciliar tudo! Faço uma caminhada, isso impica que já não arrumo coisas que tinha para arrumar, que não estudo o que devia estudar... Porque chegando a casa às 11 da noite depois de uma caminhada eu quero é cama! Definitivamente não sei gerir o meu tempo, não conseigo bfazer tudo, e isso irrita-me!

Hoje de manhã para começar melhor, lá me dispus a fazer 8 minutinhos de abdominais.
Vamos ver como corre o dia 2.

domingo, 13 de junho de 2010

I've been a bad girl for a few days



Nova semana - missão bons velhos hábitos.
Os dias que passaram, nomeadamente a semana que passou, fui muito condescendente comigo e com as minhas vontades, não fiz abdominais nem pesos, comi em restaurantes o que me apeteceu com direito a sobremesa, creio que acabei por abusar dos doces e também dos hidratos de carbono, e sei que não posso ser assim tão permissiva. há que ter rédea curta com as excepções para não as deixar ser regra. E isso é o complicado da questão. Pensar, "hoje posso", dizer a mim mesma "agora que estou com o peso certo"...
Ora se há coisa que não se poder ter como adquirida é o peso, e se não lutarmos para manter as nossas rotinas, os bons hábitos, lá se vai tudo quanto Maria fiou...
Portanto esta é a semana de ter juizinho e saber manter o que é certo e deixar como verdadeiras excepções os desvarios gastronómicos!

Bons velhos hábitos:
- comer sempre sopa antes da refeição
- acompanhar a refeição com vegetais crus: saladas, gaspacho
- controlar a quantidade de hidratos de carbono
- reduzir drasticamente os açucares simples: doces, bolos, sobremesas
- reduzir o consumo de queijo
- fazer abdominais e pesos 5 dias por semana

E para reforçar a moral, nada melhor que relembrar os velhos dias de fatos de banho para esconder as banhocas, ou mesmo a fuga de sítios com pessoas que pudessem ver as ditas banhocas. Porque nada se compara à sensação de me meter num biquíni S minúsculo q.b. E assim se reforça a vontade de manter o corpo como se quer!

segunda-feira, 7 de junho de 2010

Produtos para o Verão



À semelhança de outros blogs, aqui deixo a minha selecção de produtos que não dispenso no Verão.
1-Vasenol Creme Gordo: porque na verdade não há nada melhor para cuidar da pele que um creme gordo, este espalha-se bem, previne as estrias e melhora imediatamente a textura da pele. 9.00
2- Lierac Phytrel: serum para a perda de firmeza do busto. Para grandes males há que escolher os melhores remédios. E este apesar de não fazer milagres melhora sem dúvida o aspecto da pele do busto. O meu veredicto? Talvez não valha o que custa! 40.00
3- Elancyl creme para as estrias: um bom investimento, provavelmente não há nada que melhore tão visivelmente o aspecto das marcas. 19.00
4- Babaria creme refirmante- uso como creme corporal depois do banho, tem uma boa textura e é agradável. 9.00
5- Iluminador Essence: ajuda a maquilhagem a ter um ar mais sofisticado. Cumpre a sua função com preço mini. 4.00

6- Baton Essence cor Almost Famous, bom sabor, brilho com um pouco de cor, leve como se quer no verão!
7-Pó bronzeador Bourjois: ajuda a completar o look Sun Touched.15.00

8- Máscara de pestanas Lash Mania: incomparável no volume e extensão ( e olhem que a minha anterior era Chanel!) 5.00

9- Blush Lancôme em Mousse: incomparável e divino,vale cada cêntimo. Deixa um delicioso tom rosado e chic nas bochechas que dura o dia todo!35.00

10- Toalhitas auto-bronzeadoras Vichy: já experimentei outros auto-bronzeadores, Avene, Piz Buin e nada se assemelha a estas toalhitas: práticas, revelam a cor em menos de 30 minutos, deixam realmente a pele bronzeada, tem bom cheiro, não deixam a pele manchada. Há que ter cuidado para deixar secar e não transferir para a roupa. O rosto com isto não precisa de base e fica ultra luminoso, de ar saudável e cuidado. Cada toalhita a 1.00


E com este produtos estou pronta para os dias de Verão. E vocês? Quais os vossos segredos?

sexta-feira, 4 de junho de 2010

Feeling pretty

Os dias deviam ser sempre assim. sair de casa depois de um dia de descanso ao sol. A pele hidratada e a sensação de trazer a corzinha do sol de feriado. Coloquei um pouco de blush e iluminador, deixei os cabelos algo ondulados sem esticar, longos e ao sabor do vento.
Coloquei pela primeira vez em muitos muitos anos uma camisa branca. Durante esse tempo sempre me refugiei no preto, fugia da cor branca, tinha medo! Achava, e talvez com alguma razão, que o branco não era para gordas. Mas agora sei que o preto também não me melhorava, era apenas um luto forçado, um luto pela minha própria auto-estima que morrera.
Então hoje vesti-me com uma camisa branca, que acentua as formas e senti-me a celebrar de novo o reavivar da felicidade, do gosto e da alegria de viver e de me mostrar ao mundo. E sabe tão bem sentir-me bem.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Nutricionista - sobre a consulta


Com tinha dito, ontem era dia de consulta. A balança da médica marcou 57.9 (com roupinha vestida), e quanto ao peso estou muito bem. Segundo ela, agora interessa manter.
Viu as minhas análises, cujos valores estavam todos ok à excepção de:
- colesterol 225 - que se deve a problemas genéticos pois os triglicéridos estão óptimos
- ferro nos limites aceitáveis - tenho que manter a minha dose de peixe e carne sem baixar, senão passo a ter anemia (daí ela perguntar se ando cansada, se tenho dormido bem...)
- glicose em jejum alta - que significa que como poucos hidratos de carbono e é o fígado a tentar compensar

A única alteração que tenho que fazer à minha alimentação é obrigar-me a comer de manhã hidratos de carbono: pão ou tostas, porque é o que o corpo está neste momento a sentir falta, e depois isto repercute-se na concentração, capacidade de trabalho, humor...
E de resto posso continuar os hábitos que tenho tido. Aconselhou-me apenas a fazer ioga ou pilates (não faço ideia do porquê, se será só para relaxar), que por enquanto terei de adiar por falta de tempo.
Volto lá em Agosto. Até lá vou ver se me obrigo a comer o pãozito de manhã. Quem me conhece sabe como adoro pão ...à noite! Mas parece que posso comer os dois!

segunda-feira, 31 de maio de 2010


Um sábado cansativo mas em prol de boas causas... um domingo de sol e água... uma segunda feira de trabalho e de consulta de nutrição.
Vamos ver como corre a semana porque esta é mais curta, e o feriado está quase à porta: isto é a minha forma de me tentar animar e ir trabalhar!
Quanto à consulta de nutrição conto depois como correu tudo.

Este fim de semana em termos de RA teve direito a Belgas! É que eu não me lembrava já da última vez que tinha comido tal coisa. Foi muito engraçado passar na ala das bolachas do supermercado e dizer "estas eram muito boas", "ah, eu gostava muito destas". É verdade, as coisas mudam e eu nunca como bolachas e daí o pretérito imperfeito.
Ainda neste fim de semana consegui a proeza de ter um piquenique sem rissóis e afins. Fui munida de vegetais, fruta e queijo fresco.
E também consegui a proeza de me enfiar num biquíni, ignorando as estrias e outras imperfeições que pudessem aparecer. Já bastou andar muitos anos escondida na roupa. Chega!

Em dias assim até me sinto poderosa, mas confesso que na verdade foi a pressão da consulta de hoje que deu uma ajuda!

Regresso mais tarde.Beijos.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Começamos hoje?

E porque não?
Porque não abraçar hoje esse plano tantas vezes metido na gaveta: ser mais feliz, ser mais saudável, ser mais magra.
Se é para começar hoje, não vás a correr despedir-te dos bem amados fritos, bolos e afins. A bem dizer não terás que dizer um adeus definitivo a nada. Well, that´s the formula!
Bem, não é um plano para meia dúzia de dias, nem mesmo uma dieta de verão, é um estilo de vida, e portanto, como o nome indica, é para a vida: TODA!

Porquê começar uma dieta?
Sinceramente, eu não aconselharia ninguém a iniciar uma dieta de ânimo leve. Passei por algumas dietas mal sucedidas e posso assegurar que são um verdadeiro tormento, são desgastantes do ponto de vista emocional e psíquico, levam ao desânimo ou mesmo à perda de auto-estima.
Por isso é que quando me perguntam o que fiz eu para emagrecer, e o que aconselho: eu digo para pensarem se querem mesmo mudar de vida, se estão dispostos a isso, e o que imaginam que iria mudar se perdessem peso.
Eu precisei bater no fundo, entrar em estado depressivo, para ver mais coisas positivas em emagrecer que no prazer que tinha de comer.
E esse é o problema, por vezes as pessoas querem emagrecer mas só conseguem ver as coisas negativas associadas a isso, enquanto endeusam o seu estilo de alimentação do qual não se conseguem desapegar.

Procurar ajuda!
É um problema físico e psicológico de relação com a comida e por isso, acredito que o mais importante para mim foi ter sido encaminhada para as consultas de nutrição e acompanhada por uma nutricionista. Ter alguém que nos segue tem outro peso: o de cumprir os planos, de baixar o peso, de assumir os erros e as conquistas na próxima consulta. Quem se decide a fazer dieta sozinho não sente esta pressão, porque no fundo não há ali o juiz: se a balança acusar mais quilos, só a pessoa irá saber e não tendo que o assumir torna-se mais compassivo consigo mesmo. Além disso só um nutricionista poderá fornecer um plano adequado a cada pessoa, aos seus hábitos e estilo de vida, e que assegure todos os nutrientes que necessitamos.

Mudar os hábitos!
No início, para mim foi importante afastar-me dos alimentos sabotadores: foi importante para fortalecer a vontade, fortalecer-me e conseguir dizer não. Para isso deixei os antigos prazeres: manteiga, queijos, patés, doces, gelados, bolachas, barras de cereais, pizzas, molhos, salgadinhos e aperitivos, charcutaria...
Isso foi importante no início, para conseguir introduzir uma alimentação saudável. Agora já como essas coisas esporadicamente, de forma regrada e em poucas quantidades.
Passei quase um ano em modo RESET and RESTART: isso implicou abandonar velhos hábitos e vícios e substituí-los por boas práticas (às quais me habituei e agora são a minha rotina). E esses hábitos são não só alimentares, mas prendem-se com uma rotina de exercício diário. Compreender que é preciso gastar as calorias que ingerimos e que isso só se consegue através do exercício! E não é preciso passar o dia no ginásio, bastam 20 minutos por dia!

Começar já!
Não vale a pena esperar pelo ínicio da semana ou pelo início do mês, ou esperar que o tempo mude... não podemos andar a arranjar desculpas para desculpar a nossa má alimentação. Sim, é possível começar já hoje a perder os quilos a mais. Basta começar sem medo, acreditar, ter um pouquinho de força de vontade e esperar, porque Roma e Pavia não se fizeram num dia, nem se perde 40 quilos num mês!
No final, posso assegurar que vão olhar para trás e pensar que afinal não foi assim tão difícil.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Comer sem medo!



Há quem diga que perde o apetite com o calor. Pois eu, nem por isso. A bem dizer não me recordo de nada que me tire o apetite!
Eu definitivamente não sou o tipo de mulher que debica uma folha de alface e diz que já está cheia! Eu como a sopa, a salada, o prato e a sobremesa, com direito a repetição. Não faz sentido ficar com fome, simplesmente, não faz!
Ora para gente esfomeada, os alimentos que se seguem fazem óptimos acompanhamentos:

cogumelos: 14 kcal por 100 gramas
courgette: 17 kcal por 100 gramas

couve: 20 kcal por 100 gramas

cenoura: 20 kcal por 100 gramas
tomate: 19 kcal por 100 gramas
pepino: 17 kcal por 100 gramas

couve roxa. 23 kcal por 100 gramas
feijão verde: 25 kcal por 100 gramas
meloa: 20 kcal por 100 gramas

morango: 29 kcal por 100 gramas


E com estes vegetais é possível fazer acompanhamentos deliciosos, tais como: courgette estufada, cogumelos salteados com feijão verde, estufado de legumes... e assim se conseguem formas saudáveis de matar a fome e evitar os exageros de outras coisitas!
Ah, eu sei que há quem não defenda os edulcorantes e adoçantes, mas eu sou adepta, e aqui por casa há sempre Cola zero e 7Up light, ambas com menos de uma caloria. um prazer sem culpa!
E por falar em prazer sem culpa, alguém sabe onde comprar o Stevia?

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails