sexta-feira, 30 de abril de 2010

Dormir mal dá fome


Esta semana foi exaustiva. Todas as noites, depois do trabalho, depois de fazer o jantar, depois do exercício, depois de escrever textos, fazer investigação e preparar discursos... o horário de ir para a cama arrastou-se sempre para lá da uma. Isto para mim, que às 7 da manhã estou a levantar-me é ultrapassar os limites.
Não me dou bem com a falta de sono, porque além do sono, que me faz beber doses inimagináveis de café, sinto-me fraca, com tonturas, sem capacidade de concentração e descobri também: com fome!

E como senti isso esta semana toda, a constante vontade de comer, porque ah e tal, sinto-me fraquinha, ui que tontura, ai deve ser falta de açúcar... mas lá me contive e o único extra que cometi foi comer um pão com ameixas e nozes (por sinal muito bom!), mas confesso que o nervosismo já me andava a empurrar para a perdição (pensava em amendoins, batatas fritas e maionese)!

Acho que não sofro de compulsões, mas estes dias percebi sensação das meninas que contam que as têm: eu tinha vontade de devorar o mundo à trincada, comer de tal forma rápido e de forma incisiva, que parecia que todo o mundo ia acabar e eu tinha que ingerir o maior número de comida em menor tempo. E apesar de ter consciência disto, exactamente no momento em que estou a comer, não conseguia evitar, era objectivamente mais forte que eu.
Como é que podia comer pausadamente, se o meu corpo treme como varas verdes só de pensar que dentro de poucas horas estaria a discursar perante mais de 200 pessoas?

E esta experiência fez-me entender, que não é possível sintonizar o canal"boa alimentação" quando estamos sintonizados, ou demasiado sintonizados no nosso stress, nas nossas ansiedades. Descontar na comida afigura-se sempre demasiado fácil e a melhor das opções. Cortar os pulsos? Não é tão mais agradável devorar a tablete de chocolate?

A solução para isto não a posso dar, mas ficam daqui com algumas ilações, eu pelo menos tirei as minhas.
Factores que contribuem para arruinar os bons hábitos alimentares e de exercício físico:
- não dormir - o cansaço provoca-me sensação de fome, e consequentemente nenhuma vontade de fazer exercício
- o nervosismo - faz-me comer indiscriminadamente em velocidade turbo
- a falta de tempo, devido a actividades prioritárias que se sobrepões às rotinas: ninguém é muito bom a fazer duas coisas ao mesmo tempo. É por isso que numa fase inicial é tão importante ter a cabeça, o tempo e as prioridades apenas na questão da alimentação, caso contrário haverá sempre desculpas, por outro lado a falta de tempo também leva sempre a melhor face ao exercício.

No entanto aquilo que aprendemos com a reeducação alimentar foi muito importante para driblar estas questões: já não me atirei ao chocolates, nem ao pão com queijo e chouriço. Ainda assim, num ano fiz uma lavagem cerebral e hoje posso dizer que já não é tão simples perder a cabeça. Acabei por devorar frutas, fiambre, e um pão com ameias e nozes. OK, no drama, eu sei. Mas olhando para trás, isto há uns tempos seria muito mais complicado!

Peso de hoje: 58.9 (mantém-se estável, com oscilações de 300 gramas para cima ou para baixo há 2 semanas).

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Boa forma para cada signo

Li o meu e creio que até se encaixa:
Capricórnio: mais prazer por favor- O seu ponto forte: A persistência. Mas cuidado com essa tendência para se auto-flagelar: o exercício deve ser divertido, ou ir ao ginásio só aumentará a sua angústia existencial.


Ponto fraco: Dizer que não tem tempo para ir ao ginásio. Ou não pôr lá os pés porque acha que vai fazer figuras tristes ao lado das meninas de top a mostrar o umbigo.

Só larga o sofá... para trabalhar. Ah, isto é sobre forma. Ah, então... pode ser corrida, que testa os seus limites, coisa que o Capricórnio aprecia. Ou uma boa caminhada. E se for ao ar livre, melhor.

O que a enerva: Aulas com muita coreografia, e ainda pior, aquelas com coreografia que muda todas as semanas!

No supermercado, deve escolher:
Alimentos saudáveis mas que lhe dêem prazer: disciplinado ao limite, o Capricórnio tem tendência a comer sempre a mesma coisa se achar que é o que deve fazer. Relaxe um bocadinho.


A verdade é que: não frequento ginásios e não tenho a menor vontade! Prefiro fazer exercício fora de casa, gosto da natação, das caminhadas e até acho porreiro ir correr ou jogar ténis: os abdominais e a bicicleta em casa parecem sempre mais aborrecidos.. mas na falta de melhor! E também não tenho jeito nenhum para coreografias: quando já estão todos voltados para a direita ainda estou eu a olhar para a esquerda e a tentar imitar a menina do lado sem sucesso: uma figurinha que só Deus sabe...No supermercado, compro sempre os mesmos iogurtes Danone porque tem menos 2 calorias que uma marca mais barata. É um absurdo? Pois eu sei, mas não consigo convencer-me!

Faz o teu teste aqui, e conta-me como foi!

domingo, 25 de abril de 2010

Aniversário - 1 ano em RA




Faz hoje precisamente um ano que comecei esta saga: a guerra aos números
1- guerra aos mais de 100 quilos que pesava
2- guerra ao número 48 que vestia com sorte
3- guerra ao sentimento de me sentir velha aos 27 anos

E um ano depois:
- peso 59 quilos (mais de 42 quilos perdidos)
- uso o 36, as últimas calças são Cheyenne 35, mas também coube num 34 (acho que depende do modelo)
- tenho 28 anos e pena de não ter tomado esta decisão mais cedo


É a felicidade em números, um ano depois.
O peso, não tenho feito nada para o baixar. Preciso de mais músculo em algumas zonas do corpo e não de ficar mais magra. Um ano e foi possível mudar completamente a minha vida, e sentir-me bem com o espelho, com o reflexo das montras, com o aspecto do meu rabo nas minhas calças... :) Mais um ano fico com um corpinho como o da foto. Let´s work for that!

E tu também podes fazer o mesmo por ti.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Preocupações: peso


Nos últimos dias subo à balança e o peso desce. Hoje tinha 59.1. Facto histórico e impensável. E ao mesmo tempo precocupante, porque me parece que não é normal estar a perder peso tão rápido. Mais preocupante ainda é que a médica me disse que eu não precisava de perder mais peso, tinha eu mais 4 quilos.
As últimas análises revelam que os valores da tiroide estão mais altos que o normal, e provavelmente o hipertiroidismo é o responsável por isto.

A esta altura, já me começo a habituar a ouvir o "estás muito magra", não emagreças mais"... e realmente não era minha intenção descer abaixo dos 60. Sobretudo ao relembrar que a minha meta há um ano atrás eram 70 quilos.
E fico preocupada, porque também tenho uma costela de hipocondríaca, e porque a última coisa que quero é ficar doente do que quer que seja!

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Adoçar: tarte de maçã e aveia


Quantas de nós não temos, volta e meia, um desejo?
Eu andava a desejar uma fatia de tarte de maça com aveia... e vai daí resolvi inventar, claro está! Fim de semana, e eu permiti-me um doce.

Tarte de maçã em cama de aveia e mel
Ingredientes:
100 gramas de flocos aveia
2 colheres de mel
6 maçãs
canela
açúcar ou adoçante

Num tacho aquecer o mel até ficar líquido. Adicionar a aveia e mexer durante 4 minutos.
Forrar a tarteira (pequena) com esta mistura.
Descascar as maças e cortar em fatias finas, dispondo-as sobre a aveia, em camadas, polvilhando com canela e açúcar (ou adoçante). No final polvilhar com flocos de aveia e açúcar e levar ao forno 20 minutos, para a maçã cozer e deixar dourar.

Bom para dias em que temos desejos de um não sei o quê: não leva gordura, não leva farinha, não leva ovos, e é simples de fazer... e eu diria delicioso ao saborear!

segunda-feira, 12 de abril de 2010

A mesma pessoa, 40 quilos depois



Lá se foi (quase) metade de mim.
É sempre estranho olhar as fotos onde nos revemos, uma e outra, a mesma pessoa, e tão diferentes. É estranho olhar-me a mim mesma e não reconhecer aquela imagem, como se nunca tivesse sido minha, ou como se nunca o tivesse aceite. Creio que as pessoas que me lêem percebem do que falo quanto menciono esta estranheza ao olhar o próprio corpo. Eu passei demasiado tempo a pensar que era só isso, um corpo, um aspecto apenas entre muitos outros de toda a minha identidade: releguei o aspecto para segundo plano e tornei-me naquela imagem, deixei andar, deixei o tempo passar. E ia-me enganando.

É com tristeza que vos falo disto, é triste que não haja alguém que nos dê um abanão. Apesar de saber que nem sempre estamos prontas para o receber. Eu só estive pronta para esse abanão depois de bater no fundo dos mais de 101 quilos, e foi preciso bater fundo, para num ano, mudar a minha vida, a minha cabeça e o meu corpo e poder dizer que tenho hoje 61 quilos.
Sei que há quem me acompanhe, e pessoas para quem este incentivo é importante e por isso acedi em mostrar aqui duas imagens que correspondem a esses dois "EU".
Não busco uma meta de perfeição nem o IMC x, y ou z, só porque sim. Sinto-me bem com o meu peso, que é normal para minha ltura, apesar de me sentir mal com as estrias e peles que ficaram... não me acho perfeita, nem cheguei ao "já estou bem". Mas ao pensar no antes, apetece-me dizer que me sinto bem na minha pele.
Não me posso dizer recuperada, ou pensar que agora já está. O corpo leva uns dois anos a assimilar que tem um determinado peso, uma determinada estatura. Mas eu mesma sei que não posso cair no erro de pensar que já está e serão precisos muitos anos, provavelmente terei de passar a vida toda a cuidar para não voltar ao antes.
Era este o testemunho que vos queria trazer: antes e agora. Deixo a todos 1 abraço.

Fat days are over



Uma semana de férias e o peso parou nos 61.4. Who cares?
Foi uma boa semana de férias, de descanso, de muitas visitas e andanças. Foi a semana da comida alentejana e dos doces conventuais! Uma semana de sol para repor as energias, o ânimo... e agora voltar, claro está.

Regresso cheia de coisas para fazer, os dias todos ocupados das 7 às 22, mas se houver sol eu aguento-me.
Dias para ser feliz! Ouvir e energizar: http://www.youtube.com/watch?v=PGrx6etMl0w

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Regresso à normalidade com...


sopa de miso.

Mais uma sopa que provei num restaurante vegetariano e que tentei fazer em casa. A acreditar na cozinheira e noutras tantas páginas da net, o miso tem propriedades depurativas e diuréticas, uma vez que se trata de uma pasta fermentada, é desintoxicante e favorece a digestão.
Como se trata de uma pasta salgada, deve-se reduzir substancialmente a quantidade de sal na preparação dos alimentos.

Sopa de miso
Ingredientes:
1 cebola
3 cenouras
1 chuchu
1 colher de sopa de azeite
2 colheres de chá de miso

Preparação:
Fazer um refogado leve com a cebola e o azeite. Juntar o chuchu e as cenouras em pedaços, deixar cozinhar juntando água aos poucos.
Quando os legumes estão cozidos, passa-se com a varinha (podem passar mais ou menos consoante o gosto). Na altura de servir, retirar para o lado um pouco da sopa na qual se dissolve 2 colheres de chá de miso - 1 colher por cada tigela de sopa. Esta mistura junta-se depois já à tigela, pois o miso não pode ser fervido para manter as suas propriedades.

Nesta sopa podem variar os vegetais consoante o gosto.
Há quem consuma esta sopa depois de excessos gastronómicos (como é o meu caso depois das férias da Páscoa!). Podem encontrar o miso nas lojas Celeiro.
Outras receitas com miso.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails