sexta-feira, 30 de abril de 2010

Dormir mal dá fome


Esta semana foi exaustiva. Todas as noites, depois do trabalho, depois de fazer o jantar, depois do exercício, depois de escrever textos, fazer investigação e preparar discursos... o horário de ir para a cama arrastou-se sempre para lá da uma. Isto para mim, que às 7 da manhã estou a levantar-me é ultrapassar os limites.
Não me dou bem com a falta de sono, porque além do sono, que me faz beber doses inimagináveis de café, sinto-me fraca, com tonturas, sem capacidade de concentração e descobri também: com fome!

E como senti isso esta semana toda, a constante vontade de comer, porque ah e tal, sinto-me fraquinha, ui que tontura, ai deve ser falta de açúcar... mas lá me contive e o único extra que cometi foi comer um pão com ameixas e nozes (por sinal muito bom!), mas confesso que o nervosismo já me andava a empurrar para a perdição (pensava em amendoins, batatas fritas e maionese)!

Acho que não sofro de compulsões, mas estes dias percebi sensação das meninas que contam que as têm: eu tinha vontade de devorar o mundo à trincada, comer de tal forma rápido e de forma incisiva, que parecia que todo o mundo ia acabar e eu tinha que ingerir o maior número de comida em menor tempo. E apesar de ter consciência disto, exactamente no momento em que estou a comer, não conseguia evitar, era objectivamente mais forte que eu.
Como é que podia comer pausadamente, se o meu corpo treme como varas verdes só de pensar que dentro de poucas horas estaria a discursar perante mais de 200 pessoas?

E esta experiência fez-me entender, que não é possível sintonizar o canal"boa alimentação" quando estamos sintonizados, ou demasiado sintonizados no nosso stress, nas nossas ansiedades. Descontar na comida afigura-se sempre demasiado fácil e a melhor das opções. Cortar os pulsos? Não é tão mais agradável devorar a tablete de chocolate?

A solução para isto não a posso dar, mas ficam daqui com algumas ilações, eu pelo menos tirei as minhas.
Factores que contribuem para arruinar os bons hábitos alimentares e de exercício físico:
- não dormir - o cansaço provoca-me sensação de fome, e consequentemente nenhuma vontade de fazer exercício
- o nervosismo - faz-me comer indiscriminadamente em velocidade turbo
- a falta de tempo, devido a actividades prioritárias que se sobrepões às rotinas: ninguém é muito bom a fazer duas coisas ao mesmo tempo. É por isso que numa fase inicial é tão importante ter a cabeça, o tempo e as prioridades apenas na questão da alimentação, caso contrário haverá sempre desculpas, por outro lado a falta de tempo também leva sempre a melhor face ao exercício.

No entanto aquilo que aprendemos com a reeducação alimentar foi muito importante para driblar estas questões: já não me atirei ao chocolates, nem ao pão com queijo e chouriço. Ainda assim, num ano fiz uma lavagem cerebral e hoje posso dizer que já não é tão simples perder a cabeça. Acabei por devorar frutas, fiambre, e um pão com ameias e nozes. OK, no drama, eu sei. Mas olhando para trás, isto há uns tempos seria muito mais complicado!

Peso de hoje: 58.9 (mantém-se estável, com oscilações de 300 gramas para cima ou para baixo há 2 semanas).

3 comentários:

  1. Olá há já algum tempo que leio o teu blog e já estive tentada a fazer a tua dieta ou RA mas tambem eu tanho uma indicada para o meu corpo e tal como tu perdi peso... mas não tive a tua força de vontade e ganhei novamente embora soubesse exactamente o que fazer ... como eu te entendo neste post .....

    ResponderEliminar
  2. É isso que me acontece (ou acontecia) e o suficiente para sabotar completamente a minha RA. Sempre que levava trabalho para casa, logo cheia de stress para o acabar, cheia de sono ao computador e a pensar que me tinha que levantar cedo, e sim fome, muita, atacava sempre um pacote de bolachas das mais calóricas que tivesse em casa...isto durante vários dias apesar do resto da alimentação ser boa, acaba por causar estragos, mas era mesmo inevitável. A solução foi mesmo deixar de ter porcarias em casa, assim não tenho hipótese, mas sinto-me mesmo uma viciada a ressacar, hehe.

    ResponderEliminar
  3. Pois, era o que me acontecia. Quando tinha trabalhos para fazer, apresentações, que estudar para as frequencias... Era tanta a ansiedade e o stress que tinha que ir comer chocolate ou bolachas de chocolate e só depois conseguia concentrar-me e estudar... Agora vai começar outra vez a minha fase de frequências, espero cnseguir ultrpassar o stress e a ansiedade. Parabéns pelo blog e pela tua vitória ;) Bjinho

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails