segunda-feira, 31 de maio de 2010


Um sábado cansativo mas em prol de boas causas... um domingo de sol e água... uma segunda feira de trabalho e de consulta de nutrição.
Vamos ver como corre a semana porque esta é mais curta, e o feriado está quase à porta: isto é a minha forma de me tentar animar e ir trabalhar!
Quanto à consulta de nutrição conto depois como correu tudo.

Este fim de semana em termos de RA teve direito a Belgas! É que eu não me lembrava já da última vez que tinha comido tal coisa. Foi muito engraçado passar na ala das bolachas do supermercado e dizer "estas eram muito boas", "ah, eu gostava muito destas". É verdade, as coisas mudam e eu nunca como bolachas e daí o pretérito imperfeito.
Ainda neste fim de semana consegui a proeza de ter um piquenique sem rissóis e afins. Fui munida de vegetais, fruta e queijo fresco.
E também consegui a proeza de me enfiar num biquíni, ignorando as estrias e outras imperfeições que pudessem aparecer. Já bastou andar muitos anos escondida na roupa. Chega!

Em dias assim até me sinto poderosa, mas confesso que na verdade foi a pressão da consulta de hoje que deu uma ajuda!

Regresso mais tarde.Beijos.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Começamos hoje?

E porque não?
Porque não abraçar hoje esse plano tantas vezes metido na gaveta: ser mais feliz, ser mais saudável, ser mais magra.
Se é para começar hoje, não vás a correr despedir-te dos bem amados fritos, bolos e afins. A bem dizer não terás que dizer um adeus definitivo a nada. Well, that´s the formula!
Bem, não é um plano para meia dúzia de dias, nem mesmo uma dieta de verão, é um estilo de vida, e portanto, como o nome indica, é para a vida: TODA!

Porquê começar uma dieta?
Sinceramente, eu não aconselharia ninguém a iniciar uma dieta de ânimo leve. Passei por algumas dietas mal sucedidas e posso assegurar que são um verdadeiro tormento, são desgastantes do ponto de vista emocional e psíquico, levam ao desânimo ou mesmo à perda de auto-estima.
Por isso é que quando me perguntam o que fiz eu para emagrecer, e o que aconselho: eu digo para pensarem se querem mesmo mudar de vida, se estão dispostos a isso, e o que imaginam que iria mudar se perdessem peso.
Eu precisei bater no fundo, entrar em estado depressivo, para ver mais coisas positivas em emagrecer que no prazer que tinha de comer.
E esse é o problema, por vezes as pessoas querem emagrecer mas só conseguem ver as coisas negativas associadas a isso, enquanto endeusam o seu estilo de alimentação do qual não se conseguem desapegar.

Procurar ajuda!
É um problema físico e psicológico de relação com a comida e por isso, acredito que o mais importante para mim foi ter sido encaminhada para as consultas de nutrição e acompanhada por uma nutricionista. Ter alguém que nos segue tem outro peso: o de cumprir os planos, de baixar o peso, de assumir os erros e as conquistas na próxima consulta. Quem se decide a fazer dieta sozinho não sente esta pressão, porque no fundo não há ali o juiz: se a balança acusar mais quilos, só a pessoa irá saber e não tendo que o assumir torna-se mais compassivo consigo mesmo. Além disso só um nutricionista poderá fornecer um plano adequado a cada pessoa, aos seus hábitos e estilo de vida, e que assegure todos os nutrientes que necessitamos.

Mudar os hábitos!
No início, para mim foi importante afastar-me dos alimentos sabotadores: foi importante para fortalecer a vontade, fortalecer-me e conseguir dizer não. Para isso deixei os antigos prazeres: manteiga, queijos, patés, doces, gelados, bolachas, barras de cereais, pizzas, molhos, salgadinhos e aperitivos, charcutaria...
Isso foi importante no início, para conseguir introduzir uma alimentação saudável. Agora já como essas coisas esporadicamente, de forma regrada e em poucas quantidades.
Passei quase um ano em modo RESET and RESTART: isso implicou abandonar velhos hábitos e vícios e substituí-los por boas práticas (às quais me habituei e agora são a minha rotina). E esses hábitos são não só alimentares, mas prendem-se com uma rotina de exercício diário. Compreender que é preciso gastar as calorias que ingerimos e que isso só se consegue através do exercício! E não é preciso passar o dia no ginásio, bastam 20 minutos por dia!

Começar já!
Não vale a pena esperar pelo ínicio da semana ou pelo início do mês, ou esperar que o tempo mude... não podemos andar a arranjar desculpas para desculpar a nossa má alimentação. Sim, é possível começar já hoje a perder os quilos a mais. Basta começar sem medo, acreditar, ter um pouquinho de força de vontade e esperar, porque Roma e Pavia não se fizeram num dia, nem se perde 40 quilos num mês!
No final, posso assegurar que vão olhar para trás e pensar que afinal não foi assim tão difícil.

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Comer sem medo!



Há quem diga que perde o apetite com o calor. Pois eu, nem por isso. A bem dizer não me recordo de nada que me tire o apetite!
Eu definitivamente não sou o tipo de mulher que debica uma folha de alface e diz que já está cheia! Eu como a sopa, a salada, o prato e a sobremesa, com direito a repetição. Não faz sentido ficar com fome, simplesmente, não faz!
Ora para gente esfomeada, os alimentos que se seguem fazem óptimos acompanhamentos:

cogumelos: 14 kcal por 100 gramas
courgette: 17 kcal por 100 gramas

couve: 20 kcal por 100 gramas

cenoura: 20 kcal por 100 gramas
tomate: 19 kcal por 100 gramas
pepino: 17 kcal por 100 gramas

couve roxa. 23 kcal por 100 gramas
feijão verde: 25 kcal por 100 gramas
meloa: 20 kcal por 100 gramas

morango: 29 kcal por 100 gramas


E com estes vegetais é possível fazer acompanhamentos deliciosos, tais como: courgette estufada, cogumelos salteados com feijão verde, estufado de legumes... e assim se conseguem formas saudáveis de matar a fome e evitar os exageros de outras coisitas!
Ah, eu sei que há quem não defenda os edulcorantes e adoçantes, mas eu sou adepta, e aqui por casa há sempre Cola zero e 7Up light, ambas com menos de uma caloria. um prazer sem culpa!
E por falar em prazer sem culpa, alguém sabe onde comprar o Stevia?

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Conjugar: esse verbo difícil



Por aqui tudo na mesma. Como bastante, e talvez bastante mais que o que queria ou devia. Compenso com exercício, mas às vezes não há muita vontade para isso.
Como hoje.

Qualquer mulher tem os seus dias... estava tudo a correr muito bem até eu decidir fazer aqueles comentários que já devia saber que acabam em chatice. Se calhar até sei, mas disse-o na mesma. Como previsto, acabou em chatice.
Logo hoje que tinha mudado os meus planos de afazeres para poder ficar mais tempo em casa, aproveitar o jantar, a noite... Não fiz os meus afazeres, não aproveitei coisa nenhuma, à excepção do pão com doce de figo que comi para tirar o travo amargo da discussão. E escusado será dizer que também não me consegui concentrar em mais coisa nenhuma, pelo que estou aqui.
Aquilo que me vem à cabeça, e que preferia não pensar, é que isto aconteceu porque precisamente eu deixei de fazer o que devia e fiquei em casa... porque quando não estamos juntos simplesmente não há tempo para discutir. E não queria acreditar nisso porque não me vai trazer pensamentos bons.
Preferia pensar que eu decidi incendiar uma discussão... preferia ter visto que eras mais sensato que eu e não me davas troco. Mas deste e isso ainda me deixa mais chateada. Porque raio se faz um pé de vento por ninharias... não devia eu já ter aprendido?E tu também.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Em preparação


Decidi na sexta feira que domingo seria dia de caminhada: uma grande caminhada para me preparar para uma maior ainda...
Antes do Verão terminar conto fazer uma caminhadita de 40 Km, então, em jeito de preparação, e uma vez que já estamos em Maio, decidi que para me preparar tinha que fazer já 20 quilómetros a ver como é que a coisa corria.

Munida do meu pedómetro, onde coloquei uma média de 60 cm por passo, lá me meti com a minha companhia ao caminho. Fomos por estradas, caminhos e atalhos, por meio de campos, ao longo de ribeiros e rios, subir os montes, descer os montes...

Cumpri a meta e só hoje sinto os músculos um bocado presos, mas ainda assim nada de especial.
Desconfiada como sou decidi ir ver ao certo se o pedómetro era de confiar, inseri o percurso todo num site para o efeito e percebi que afinal fiz 24.4 Km em vez de 20! Creio que o meu passo é um pouco maior de 60 cm.
E sinto-me feliz, mesmo orgulhosa, porque não me sabia capaz de tais proezas! Claro que não sou o exemplo máximo de persistência, porque finda a caminhada lá fui eu degustar iguarias nada light... a julgar pelos cálculos terei gasto em 4:30 h de caminhada cerca de 1200 calorias, mas desconfio que comi bem mais que isso entre o almoço e jantar, por isso fica tudo na mesma, Well I hope so!

sábado, 15 de maio de 2010

Pele e osso? Eu?


Seremos nós que nos vemos mais gordas ou as outras pessoas que nos acham mais magras?
Em conversa com uma colega que sempre considerei magrinha e que ainda agora olho e vejo que é muito mais magra que eu, me dizia:
-Tu, 59 quilos? Impossível. Eu peso 60, e tu estás pele e osso!
Eu não me vejo pele e osso: tenho ossos tenho pele, mais algumas peles que o que gostaria de ter é certo... mas não me acho assim tão magra. Por isso soa estranho quando me chamam magrinha e dizem que estou muito magra e que preciso de engordar uns quilos.

Nunca ninguém está bem com o que tem, eu gostaria muito de engordar uns quilos nas mamocas e no rabo já agora, e perder as peles que ficaram na barriga e as estrias. Sei que se engordar não vai ser assim de foma localizada e se continuar a emagrecer também não vou melhorar o meu corpo.
A minha luta é por definir os músculos e esperar que isso seja a salvação para as estrias e pele que perdeu a tonacidade.
Olho para as fotos da recente estrela de Mirandela, a professora Bruna que por posar para a Playboy vai ser afastada da escola, e vejo ali uma mulher jeitosa, com curvas, sem ser exageradamente magra.

Será que nós, na busca pela magreza, perdemos a noção que ser demasiado magra não significa ser bonita, gira, desejável, boa?
Deixo aqui para reflexão! e aguardo os comentários!

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Manter: 59


Os meus valores da tiróide estão finalmente regulados, e sendo assim eu espero ter espantado para longe os ataques de fome voraz!
Luta do momento: manter. Estou nos 59.5, com tolerância de meio quilo para cima e para baixo. Quer isto dizer que nos fins de semana subo, durante a semana desço. É um peso razoável e eu quero manter-me fiel a ele.

Espero estar aqui daqui a um ano e poder dizer que é este o meu peso, porque só aí poderei cantar vitória.
Estou na fase da manutenção há sensivelmente um mês. Convosco irei partilhar a luta nos meses que se seguem por este equilíbrio saudável e com que me sinto bem.

Claro que já oiço a minha mãe a dizer-me que estou muito magra, e que estava mais bonita quando pesava 62 quilos... e há quem me diga que agora preciso de engordar, imagine-se!
Pois, e eu tenho de lhes explicar que quem passou um ano a perder 42 quilos, não lhe passa pela cabeça aumentar um que seja!

A minha rotina para manter o peso:
EXERCÍCIO
• natação 2vezes por semana
• abdominais e pesos 3 vezes por semana

ALIMENTAÇÃO seg. a sex. (sei que faço muita coisa errada, mas é a minha forma errada de ser)
• pequeno almoço- 1 iogurte liquido magro, 1 peça de fruta
• lanche - 1 iogurte magro, 1 bebida de cevada, 1 peça de fruta ou 1 compal light
• almoço - sopa, salada e fruta ou salada de frutas
• lanche 1 - 1 iogurte, 1 bebida de cevada
• lanche 2 - 1 fruta ou 1 compal light
• jantar - sopa, salada, prato de vegetais com carne ou peixe, pão, 1 peça de fruta
• ceia - nunca como nada

a alimentação durante o fim de semana foge aos cânones, não segue nem o número de refeições nem o tipo. Um mal que muitas de vocês também conhecem! :)

terça-feira, 11 de maio de 2010

Fight for this


Li algures que a Fergie disse publicamente que se tornaria lésbica por esta menina: Cheryl Cole.
Eu tenho a dizer que as fotos que vi não permitem concluir se valeria assim a pena.
De qualquer forma, esta imagem revela uma mulher invejável, de corpo com as devidas proporções e cheia de estilo. Nesta foto bem mais discreta que noutras...

Para mais, podem ver o vídeo e ouvir musiquinha que também é agradável, e lá vai dizendo aquilo que nós já sabemos, mas que convém lembrar:
YOU GOT TO FIGHT FOR THIS (love) - no nosso caso: diet, weight, body, beauty or whatsoever!

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Too much tired



Raios de sol lá fora, passarinhos a chilrear, roupas mais leves... e eu só consigo dizer, sinto-me cansada como se carregasse nos ombros o peso do mundo: não consigo concentrar-me no trabalho, ando há 2 semanas a morrer de sono, acho-me pálida, a minha pele só fica decente com autobronzeador e blush... e para piorar a situação tenho fome!
E até posso apontar um suspeito: tiróide.

Já vos tinha falado deste meu problema clínico. Aos 18 anos foi-me diagnosticado hipertiroidismo, que me fez ficar magra (eu só via as coisas boas na altura), entretanto fui tratada com iodo radioactivo e passei a ter hipotiroidismo e fiquei gorda.

As últimas análises revelaram valores anormais de T4livre, logo, o médico reduziu-me a medicação. Essa medicação basicamente é a hormona que a tiróide produz, porque a minha tiróide deixou de funcionar. Parece-me é que ele reduziu demais a medicação, pois eu sinto-me a morrer de cansaço.

Quem tem tendência para engordar deve estar atento à tiróide pois muitas vezes é ela a culpada do aumento de peso.
Confirma os sintomas e as diferenças entre hipertiroidismo e hipotiroidismo aqui: SPEDM.

terça-feira, 4 de maio de 2010

You can start now


No início da minha revolução alimentar, toda eu era regra, exigência e cuidados. E acredito mesmo que foi essa perseverança que fez com que as coisas se encaminhassem bem e dessem certo, permitiu-me perder nos 2 primeiros meses 10 quilos, depois uma média de 4 quilos por mês, perder 35 quilos em 9 meses, 4o quilos num ano.

Este post serve sobretudo para falar de metas realistas.
Sim, é possível perder 8 quilos até ao Julho, mas quem precisa de perder 40, terá de lutar por ficar bem no biquíni ao longo de mais tempo.
Às vezes até 5 quilos parecem muito difíceis de perder, eu digo-vos que se quiserem conseguem.
Querem mesmo?
A atitude mental e física tem de mudar, por isso é tão difícil, ou assim o parece, emagrecer. No fundo trata-se de desbloquear um dispositivo que temos dentro da nossa cabeça. Ao contrário do que possam pensar, não é preciso chamar a brigada de minas e armadilhas, somos nós próprias a fazer o serviço.

Farto-me aqui de dizer que há hábitos que terão de se manter sempre, mas com o evoluir do peso - agora boas novidades - há coisas que não eram permitidas no início e agora já são. Por uma coisa muito simples: a prática desportiva fez com que ganhasse músculo, o músculo vai consumir mais energia que a gordura, mesmo em descanso. Por outro lado ao adquirir uma rotina de exercício, alguns exageros alimentares vão ser compensados depois.
Hoje em dia posso dizer que como (1 a 2 vezes por semana) uma sobremesa sem culpa, um prato mais calórico... trata-se tudo de perceber a mecânica das coisas e de como reagimos à comida. No fundo este processo de emagrecimento levou-me a conhecer-me melhor e conseguir controlar a situação.

Já aqui disse que tenho todo o gosto em ajudar e quem precisar de uma força para iniciar o seu processo de emagrecimento pode entrar em contacto comigo para o email: electaugusta "arroba" gmail.com

sábado, 1 de maio de 2010

Equilibrar


Ontem cometi alguns execssos ao jantar, as entradas, o vinho, a carne que por sinal estava óptima... tudo tão bom que abusei, até mesmo na sobremesa.
Hoje, feriado, não havia natação. Portanto para equilibrar lá fui correr, entre as árvores, com a brisa fresca, o chilrear dos passarinhos... corro, canso-me mas sinto-me livre, uma liberdade e sensação de bem estar inexplicável.
Cansada mas feliz, vou para o meu bubble bath com este produtinho que uma amiga me ofereceu! Depois passo este que também gosto muito!
Vou pôr uns jeans, uma camisa em tom nude, num rosa pálido, botas camper de salto alto, deixar os longos cabelos ao vento, e vou passear!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails