domingo, 11 de julho de 2010

Sobre outras dietas impostas


As últimas semanas tenho pensado muito nisto: o IRS que aumenta, o IVA que aumenta, as pessoas que baixam as calcinhas e oferecem o rabinho para que as (F) lixem sem sequer reclamar. Os aproveitamentos que são feitos devido ao estado económico em que estamos, o argumento da suposta crise... os atropelos aos direitos dos que trabalham, o roubo a que assistimos!

Não penso só em mim quando falo disto, penso nas pessoas todas que sofrem as injustiças a que assistimos, as injustiças que todos pagamos. Não adianta tentar enfiar a cabeça debaixo do travesseiro, mudar de canal na hora do telejornal, não adianta fingir que está tudo na mesma, porque não está.
Chegas ao fim do mês e o salário ou desceu (por causa do IRS) ou é o mesmo (sinal que não foste aumentada). Chegas ao café, e em vez de 1%, o café subiu 5 cêntimos, o almoço subiu 50 cêntimos, cada um dos produtos de super mercado subiu. Na minha lucidez que insisto em não varrer para debaixo do tapete, percebo que o meu salário efectivamente mingou, percebo que não há sinais de aumento à vista, vejo que o meu tempo é escasso para fazer o que gosto, que gasto para trabalhar 12 horas do meu dia, passo 8 a dormir (com sorte), sobram umas míseras 4 horas que servem para chegar a casa, fazer o jantar, pôr roupa a lavar e a secar, jantar e pouco mais.
Pedem-nos sacrifícios patrióticos? Pedem-nos sacrifícios no trabalho? Pedem-nos que aceitemos com resignação este salário, esta vida? Em nome de quê? Do lucro deles? Do tempo de qualidade, da capacidade económica , das férias deles! Trabalhamos para que outros vivam melhor! É indecente, é triste...

Não percebo porque é que as pessoas não saem para a rua e fazem como os gregos! Acho que por natureza preferimos ver o que de bom temos e com isso abafamos as situações ultrajantes a que assistimos. Querem exemplos?
- Ai, que ganho tão mal! Mas podia estar pior, podia não ter emprego.
- Vivo para o trabalho, e não tenho tempo para nada! Se estivesse desempregada tinha tempo e não tinha como o usufruir.
- O país vai mal, somos mal conduzidos, assisto a injustiças de todo o género! Mas ao menos fico feliz por ter uma família, por ter mãozinhas e perninas. Estamos mal, mas podia ser pior.

Sabem que mais? Nós pensamos mal. Ensinaram-nos a vida toda a aceitar, a resignar. Somos demasiado "vão-se os anéis, ficam os dedos" e nessa alienação não vemos que nos estão a levar os dedos também.

5 comentários:

  1. Tem toda Razão... Mas o problema é que é mais fácill mais comodo, ficar no mesmo lugar... Qualquer mudança gera sofrimento. Pede ação, então ficamos sempre no mesmo lugar...

    ResponderEliminar
  2. a verdade é que as pessoas nao se contentam com o que tem! essa é a verdade! uma semana super light! bjus!

    ResponderEliminar
  3. Tens razão naquilo que dizes... Estamos mesmo muito mal, mas também não nos adianta andar de cara zangada com meio mundo e depois na hora do voto caírmos no erro de sempre...
    Triste é sermos nós a pagar a crise - que nem sequer a criamos - e os lobbys, os bancos, os administradores, os grandes empresarios e outros que tais continuarem com os lucros milionários.
    Força nas canetas,
    Alexandra

    ResponderEliminar
  4. Tens razão...o povo queixa-se da situação económica que está a viver; queixa-se do actual governo (mas o que é facto é que o fdp foi eleito novamente); queixa-se de tudo e de mais alguma coisa...mas tb é facto que o nosso país pára completamente para ver a SPF a jogar e já lá vai o tempo em que o país parava para uma revolução de Abril...

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails